Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Missão Artística Francesa: vai cair na sua prova!

Missão Artística Francesa: um resumo

A Missão Artística Francesa, incentivada pelo rei D. João VI, foi uma das tantas transformações que ocorreu com a chegada da família real no Brasil.

Dessa maneira, não é de se surpreender que o assunto seja tão cobrado pelas maiores provas de história do Brasil do país, como os vestibulares e o ENEM.

Missão Artística Francesa: Introdução

A Missão Artística Francesa é o nome que o a vinda de artistas franceses para o território brasileiro antes da independência, no início do século XIX, recebe. O principal objetivo dessa expedição artística era iniciar uma formação acadêmica em belas artes.

A família real havia chegado ao Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, no ano de 1808. Com a chegada da corte no país, diversas transformações passaram a ser organizadas a fim de adequar a cidade à presença do monarca D. João VI, de seus funcionários e de sua família. E é justamente nesse período que a Missão Artística será organizada, no ano de 1816.

Missão Artística Francesa: Antecedentes Históricos

Os artistas da Missão Artística Francesa chegaram ao Brasil em 26 de março de 1816, sob a liderança de Joaquim Lebreton, durante o reinado de D. João VI.

Os profissionais que decidiram integrar a Missão haviam perdido prestígio, incentivos e investimentos na França devido ao contexto histórico: os artistas eram apoiadores de Napoleão Bonaparte, cujo Império havia caído no ano de 1815. Assim, a dinastia que logo em seguida tomou o poder, a Dinastia Bourbon, se tornara inimiga de todos os que apoiavam o antigo governo.

Missão Artística Francesa: Características

Vários artistas franceses se juntaram à expedição. Entre eles estavam pintores, arquitetos, escultores, restauradores, carpinteiros e artesãos. Porém, sem dúvidas, pode-se afirmar que o artista que mais se destacou no Brasil foi Jean-Baptiste Debret.

Debret se tornou conhecido por pintar o cotidiano do Rio de Janeiro no século XIX, retratando em suas obras escravos e pessoas das classes mais baixas. Historiadores afirmam que as suas obras foram fundamentais para compreender o Brasil do século XIX, uma vez que o contraste entre nobreza e a maioria do povo é também retratado pelo artista. Entre as principais obras do pintor francês podemos citar Desembarque de Dona Leopoldina no Brasil, O Jantar, Caçador de Escravos e Um Funcionário a Passeio com sua Família.

O objetivo principal da missão era formar a Escola Superior de Belas Artes, a primeira academia de artes do Brasil. Posteriormente, a Escola se transformaria na Academia Imperial de Belas Artes e adquiriu um papel muito importante na criação de uma identidade (que até o momento não existia devido à dependência de Portugal) para a nação.

No final do século XIX, os alunos da Academia adquiriram um papel muito importante com obras que se enquadravam no gênero pintura histórica e que eram utilizados para a construção de uma imagem do Império brasileiro. Dessa forma, esse período da história do Brasil foi retratado, em sua maioria, por artistas franceses.

Uma das principais características dos artistas da Missão Artística Francesa era o uso de um desenho que precedia a obra final: grande parte dos quadros feitos na época possui também um rascunho, no qual o artista estudava as características que seriam colocadas na obra final.

Missão Artística Francesa: Artistas

Além de Debret, outros artistas de destaque integraram a Missão. Entre eles, podemos citar, principalmente Nicolas-Antonie Taunay, Félix Taunay, Marc Ferrez e Charles-Simon Pradier.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.