Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Mês da consciência negra: Conheça a história do ativista Malcolm X

Marcado na história como um ativista pelos direitos da comunidade afro-americana nos Estados Unidos, Malcolm X foi um importante líder do movimento negro pela luta dos direitos civis. 

A saber, ele foi um dos fundadores da organização afro-americana Nação do Islã, que teve grande representatividade sobretudo nos anos 50 e 60.

Questões sobre ativistas podem cair em vestibulares de todo país, assim como no ENEM. Por isso vale a pena ficar ligado, acompanhe! 

Família

Malcolm X nasceu em Nebraska nos EUA em 1925, seu nome original é Malcolm Little. Seu pai era um pastor batista e lutava pelos direitos afro-americanos através da UNIA – Universal Negro Improvement Association. 

Por conta disso, sua família acabou sendo perseguida por extremistas, sobretudo o grupo KKK – Ku Klux Klan, promovendo o incêndio a casa da família de Malcolm em 1929. 

Dois anos mais tarde o pai de Malcolm X é assassinado. Por conseguinte, sua mãe sofre um forte abalo psiquiátrico tendo que ser internada. 

Dessa maneira, Malcolm e os irmãos acabam sendo levados para centros de adoção em Michigan. Ele vive nessas instituições por 3 anos. 

Malcolm X  e sua juventude conturbada

Após largar o orfanato, Malcolm X segue para o estado de Massachusetts em 1941, onde passa a morar com sua irmã e trabalhar como engraxate.

Contudo, após fazer amizades locais, Malcolm começa a mudar seu estilo de vida, passando a consumir bebidas alcoólicas, traficar e consumir entorpecentes. 

Esse foi o gatilho para ele começar a cometer pequenos crimes. Nesse ínterim, acaba sendo preso em 1946, sendo condenado a 10 anos de prisão por roubo. 

Conversão para o Islã

Recluso, Malcolm X acaba conhecendo a organização religiosa afro-americana denominada Nação do Islã. A instituição pregava conceitos do islamismo e lutava pelos direitos civis dos negros, além disso, o grupo pregava o separatismo dos negros do restante do país. 

Nesse meio tempo, Malcolm X, inicia uma intensa troca de correspondência com o líder da organização Elijah Muhammad. Empolgado X converte-se ao islamismo em 1952. 

Após a conversão, Malcolm troca o nome “Little” devido a herança escravocrata e passa a usar o “X” demonstrado sua nova identidade. 

Após sua saída da prisão, Malcolm X cresce e adquire influência rapidamente dentro da instituição. Por consequência, torna-se ministro com um discurso direto e forte, começa a se destacar no meio público. 

Malcolm X, adotava um discurso pesado, pregava que os negros deviam adotar todos os meios possíveis para alcançar seus direitos, sendo assim, se preciso até usar a violência em caso de autodefesa. Em certo momento, chegou a proferir algumas críticas a outro líder negro; Martin Luther King Jr por adotar um discurso mais brando. 

Rompimento com a Nação do Islã

Em 1964 devido conflitos internos, sobretudo com o líder da organização Elijah Muhammad, Malcolm X saí da Nação do Islã. 

Desse modo, ele parte para Meca, e lá altera seu nome para El-Hajj Malik El-Shabazz, fazendo-o criar novas convicções. Nesse período, Malcolm X adota um discurso conciliador ao invés de rupturas e radicalismo. 

Depois desse hiato, ele funda duas organizações Associação da Mesquita Muçulmana e a Organização pela Unidade Afro-Americana, passando a discursar por todo o EUA. 

Morte de Malcolm X

A criação das instituições não teve boa receptividade pela Nação do Islã. O temor que elas lhe roubassem adeptos transformaram Malcolm X em um inimigo da organização de Elijah. 

Dessa maneira, Malcolm X acaba sendo assassinado em 1965, por conta de um ataque realizado por três membros da Nação do Islã durante um discurso,

O líder foi baleado com 10 tiros e morreu a caminho do hospital. Contudo, até hoje muito mistério envolve o assassinato de Malcolm X. 

Não deixe de ler também – Pode cair no ENEM: 3 filmes sobre ativistas negros americanos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.