Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Literatura Brasileira no Enem: O que saber

De uns anos pra cá, ocorreram mudanças no estilo da prova do Enem. Se parar para observar a prova do Enem dispõe de 45 questões direcionadas para linguagens. Isso significa que são questões que vão se dividir entre de gramática, interpretação e literatura. Contudo, embora as questões se dividam, elas estão interligadas de alguma forma.

O primeiro ponto quando se fala em literatura para o Enem é pensar na Literatura Brasileira. O Exame Nacional do Ensino Médio tenta abranger todas as regiões e contexto nacional. Em vestibulares de universidades estaduais, por exemplo, ocorre que os assuntos são abordados em temas regionais. E nisso, inclui-se uma literatura de autores regionais.

Já o Enem, não pode abranger todas as referências e conteúdos da Literatura Brasileira e, por isso, ele tenta fazer um multiculturalismo. O Enem busca abordar a história do Brasil e cada um dos pontos das regiões do Brasil, isso só é possível fazer de uma forma sintética ou metafórica através da Literatura Brasileira.

Conheça sobre a atualidade

A Literatura Contemporânea, porém, é a categoria mais próxima da atualidade, é um dos demais assuntos mais importantes dentro da prova de linguagens do Enem. Porque há uma transformação nas questões do Enem em que não só reconhecem a Literatura Contemporânea, sem a obrigatoriedade de ler todas as obras e, ainda, reconhece outras formas de expressão como arte. Então, no Enem, você vê o uso de histórias em quadrinhos, músicas, etc.

Além disso, é importante compreender que algumas questões aparecem não como uma cobrança do movimento literário, mas, sim, para que se tenha uma noção do que está sendo dito. Neste tipo de situação, a dica principal é produzir mapas mentais e resumos com a finalidade de conhecer as características principais e representantes principais de cada um dos movimentos literários. Inclusive, conhecer em que momento cada época literária existiu.

De início saiba que o Enem não cobra leitura obrigatória. Diferente da FUVEST, UERJ, UFPR, por exemplo, que exigem a leitura de determinados livros. Nestes casos de provas para universidades são disponibilizadas listas de livros para leitura preparatória para que se consiga responder questões direcionadas.

Por não ter leitura obrigatória, o Enem coloca a literatura com a necessidade básica de interpretação textual. Mas, só a interpretação não é válida, pois é importante que o candidato consiga compreender sempre o momento literário e quais autores estão inseridos na questão.

Pré-modernismo

É importante que você entenda que o Pré-modernismo não é uma escola literária. Mas é um período de transição que ocorreu na história. Sendo um período de transição significa que abrange alguns contextos e alguns estilos de escrita dos autores.

Modernismo

Uma das fases mais importantes da Literatura Brasileira é a escola literária do Modernismo. Neste contexto, o Modernismo pelo fato de se aproximar muito da atualidade exige que você conheça obras e escritores. Pois é uma fase que mostra semelhanças com a liberdade de expressão que existem agora. E de fato é uma das escolas literárias que mais caem no Enem.

Outras escolas literárias que aparecem com muita força nas questões do Enem é Realismo, Romantismo, Simbolismo e Parnasianismo.

Pensando na literatura no Enem

É importante pensar que as informações de literatura podem ajudar na resolução das questões e, também, na interpretação de argumentos na hora de produzir a redação.

A Literatura Brasileira é uma forma de se estudar a realidade. E a maioria das obras publicadas no Brasil, principalmente as obras que começam no arcadismo até o modernismo, são obras carregadas de críticas, informação e análise social.

Quando existe essa grande quantidade de textos que vem com essa força de informação brasileira, torna-se possível desenvolver analogias com a redação ou outras temáticas de textos. Ou seja, é importante entender a Literatura Brasileira e estuda-la não apenas para o viés das questões. Mas também para utilizar dentro da redação ou outro texto.

Ao exemplo de “Capitães de areia” de Jorge Amado, é possível se falar de desigualdade racial, desigualdade social, menor idade penal e sobre a dificuldade dos jovens que não dispõem de recursos para ir além. Na obra “Cárcere” de Graciliano Ramos, é possível falar sobre o sistema penal e suas dificuldades, pois se trata de uma história em que o autor se doou para escrever enquanto estava preso.

E quando se fala em Machado de Assis, você percebe que tanto na leitura de “Dom Casmurro”, quanto na leitura de “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, existe a necessidade de compreender e interpretar a hipocrisia social e a relação de interesses que há nas relações líquidas e sociais.

Desafios da literatura

Os estudantes desistem da literatura quando se deparam com as linguagens adotadas nos livros. Às vezes são palavras difíceis e arcaicas que não se utiliza mais e, realmente fica difícil a leitura. Contudo, veja que todo conhecimento nunca é perda de tempo! Embora você se depare com textos mais chatos, compreenda que eles representam algum momento importante da história brasileira.

Caso você identifique dificuldades em ler ou estudar algum livro literário, busque por análises que já foram feitas sobre as partes importantes das obras literárias. Na internet, você encontrar vários professores que já leram e “decodificaram” as impressões dos autores, tudo para facilitar o entendimento. Portanto, não sofra tanto, vá além do livro e investigue um pouco mais.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
1 comentário
  1. mapas mentais carreiras policiais 2021 Diz

    Congratulations, Great article. 272504499

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.