Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Intenção de Consumo das famílias brasileiras sobe no mês de julho

No mês de julho de 2021 o índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), alcançou a segunda alta sucessiva, subindo 2%. A ICF atingiu 68,4 pontos no mês atingindo o maior patamar observado desde abril deste ano. Se comparado ao mesmo período do ano anterior, 2020, o resultado ficou 3,5% acima do que foi registrado.

No entanto, mesmo alcançando essa alta o índice permanece abaixo do satisfatório que é de 100 pontos. Os dados foram coletados por uma pesquisa que foi divulgada hoje, dia 21, e que foi realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), no estado do Rio de Janeiro.

Para o presidente da CNC, o resultado positivo mostrado pelo índice de Intenção de Consumo das Famílias, teve como principal agente motivador a disponibilização do auxílio emergencial.

“A maior confiança das famílias na estabilidade da tendência positiva do mercado de trabalho, a disponibilização do auxílio emergencial e uma maior parcela da população já vacinada favoreceram as condições de consumo”, disse o presidente da CNC, José Roberto Tadros.

Índice de Bens Duráveis

O Indicador foi o que apresentou o menor número no mês de julho, porém apesar disso o Momento de Compra para Bens Duráveis, que é o índice que avalia o que os consumidores supõem sobre a compra de bens como eletrodomésticos, eletrônicos, carros e imóveis, atingiu o maior número desde o mês de abril de 2021. Além disso, o índice subiu de forma mais intensa se comparado ao mês de junho, alcançando 40,8 pontos.

“Na esteira desse avanço, houve redução do percentual de famílias que acreditam ser um momento negativo para compras desse tipo de produto: 77,2%, abaixo dos 77,7% do mês anterior e dos 78% de julho de 2020”, informou a CNC.

Consumo teve destaque

No mês de junho todos os subíndices da pesquisa mostraram efeitos positivos, mas destaque foi realmente para o que é usado para medir a Perspectiva de Consumo, em junho a Perspetiva teve um aumento de 5,1% se comparado ao mês de maio atingindo o patamar de 66,8 pontos.

O índice mostrou o maior crescimento no mês, mostrando assim uma melhora na percepção dos cidadãos brasileiros em relação a compras futuras e também uma leve recuperação da economia.“A expectativa das famílias é que esse ambiente econômico mais positivo percebido no curto prazo se prolongue para o longo prazo”, disse a economista da CNC encarregada pela pesquisa, Catarina Carneiro da Silva.

Outro nível sofreu um aumento foi o Nível de Consumo Atual, este índice sofreu um aumento de 2,2% alcançando o maior patamar desde março de 2021 quando atingiu 53,1 pontos.

“Esse avanço foi resultado da melhora nas condições de consumo, com redução no percentual de famílias que consideram o seu consumo menor (59% contra 60,3% no mês passado e 62,6% em julho de 2020) e crescimento ainda mais intenso do que no mês anterior (4,7%) na percepção do momento para compra de duráveis”, afirmou Catarina.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.