Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

História do Brasil: a Política do Encilhamento

Você sabe o que foi essa política econômica?

A Política do Encilhamento: aquilo que você precisa saber

A política do encilhamento foi um conjunto de medidas econômicas colocadas em prática no Brasil durante a República da Espada

O tema aparece com muita frequência nas principais provas do país. Assim, é fundamental que você domine as principais características desses assunto.

A Política do Encilhamento: Introdução

Durante o governo do presidente Marechal Deodoro da Fonseca, colocou-se em prática uma política econômica que recebeu o nome de Encilhamento. 

A Política do Encilhamento: Contexto Histórico

Vale ressaltar que o governo de Deodoro foi fortemente marcado pela transição de regimes políticos, monarquia para república, e por, consequentemente, instabilidades financeiras e políticas.

Entre os principais problemas enfrentados por Deodoro logo no início do mandato, podemos citar a falta de dinheiro circulando em território nacional. Isso porque, com o fim da Monarquia, a escravidão também chegou ao fim e o país viu o número de trabalhadores assalariados crescer de maneira considerável. Desse modo, faltava papel moeda para que o salário de todos fosse pago. Assim, para resolver a questão, Rui Barbosa, ministro da Fazenda da época, criou a política do encilhamento.

A Política do Encilhamento: Origem do termo

É importante ressaltar, primeiramente, que o termo “encilhamento” é utilizado em referência ao ato de colocar a cilha, ou cinta, no cavalo para cavalgar: era uma analogia em que o país se preparava para um novo momento na história, caracterizado pela industrialização e pelo avanço econômico.

A Política do Encilhamento: Características

O ministro Rui Barbosa foi o responsável por idealizar a política do encilhamento. Através de suas diretrizes, o governo buscava incentivar a emissão de grandes quantidades de papel-moeda. Para alcançar esse objetivo, o país foi dividido em três grandes regiões bancárias, que estavam autorizadas a emitir mais dinheiro. Como garantia, essas receberiam os títulos de dívida pública.

Ainda, o governo federal havia liberado grandes empréstimos para que empresários pudessem criar indústrias no país e modernizá-lo. Porém, muitas pessoas ficaram com os empréstimos e nunca abriram as indústrias, prejudicando a economia nacional.

Além disso, como houve grande pressão de instituições bancárias, o governo decidiu autorizar mais instituições a receberem o direito de emitir dinheiro. Porém, o resultado foi negativo: mais papel moeda do que o necessário passou a estar em circulação no país.

A política acabou gerando uma forte crise econômica, através da desvalorização da moeda nacional e do aumento da inflação. Nesse cenário,  muitas empresas tiveram que fechar as portas e vários empresários foram levados à falência.

Todavia, devemos destacar que mesmo com o fracasso da política do encilhamento, ela acabou incentivando, ainda que com menos força do que o desejado a industrialização do país.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.