Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Governo de Evo Morales: tudo o que você precisa saber

O governo de Evo Morales se iniciou no ano de 2006

Governo de Evo Morales: um resumo

O governo de Evo Morales se iniciou no ano de 2006, após o candidato ser eleito democraticamente, e terminou em 2019. 

As principais características desse tema são abordadas com frequência pelas principais provas de todo o país, com um destaque para os vestibulares.

Governo de Evo Morales: introdução 

Com início no ano de 2006, o Governo de Evo Morales começou com a vitória nas eleições de 2005. Foi a primeira vez que um indígena ocupou o mais alto cargo da Bolívia através do voto popular.

Governo de Evo Morales: características

Logo no início de seu mandato, Morales declarava a necessidade de nacionalizar os hidrocarbonetos, que até então eram propriedade de petrolíferas transnacionais.

Devemos destacar também que o presidente sempre declarou seu apoio às políticas de esquerda da América Latina, como Lula, Néstor Kirchner e Hugo Chávez. 

Depois de eleito, Morales reduziu o seu próprio salário em mais de 50%, recebendo cerca de 2 mil dólares por mês. Além disso, o presidente anunciou a intenção de levar aos tribunais o ex-presidente, Eduardo Rodríguez, e o ministro da defesa, Gonzalo Gutiérrez, por transferirem 28 mísseis bolivianos para os Estados Unidos, acusando-os de traição.

Governo de Evo Morales: a nova constituição 

No ano de 2009, a nova Constituição da Bolívia foi aprovada em um referendo popular. Dentre as tantas medidas consolidadas por meio da Carta, podemos citar a alteração do nome do país para Estado Plurinacional da Bolívia. 

Ainda, em dezembro do mesmo ano ocorreram novas eleições presidenciais e Evo Morales foi reeleito com cerca de 64% dos votos.

Governo de Evo Morales: crise

Nos últimos anos do mandato de Morales, a Bolívia passou por diversas crises, situação que fez com que inúmeros protestos contra o presidente surgissem no país. Os manifestantes pediam maior autonomia e soluções para a crise.

Porém, a situação saiu do controle e, em pouco tempo, uma série de embates violentos entre aqueles que apoiavam o presidente e os seus opositores surgiram no país. 

Devemos destacar que, na época, o Brasil se posicionou nos conflitos, buscando remediar a situação e intermediar as negociações.

Governo de Evo Morales: fim

Morales deixou a presidência em novembro de 2019, após uma eleição conturbada e diversas manifestações populares, que fizeram com que o então presidente renunciasse ao cargo.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.