Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Gasolina sobe mais de 50% nos últimos 12 meses e é a principal “vilã” da inflação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na última sexta-feira (10) dados referentes ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), indicador oficial de inflação do Brasil, que registrou um acúmulo de 10,74% nos últimos 12 meses. Gasolina foi a que mais subiu.

Segundo um levantamento feito pelo André Braz, coordenador dos índices de preços do Ibre-FGV, em resposta ao CNN Brasil Business, aponta que a gasolina é o principal produto afetado por essa inflação.

O combustível sozinho apresentou uma alta de mais de 50% no período referente aos últimos 12 meses, o que significa um aumento de 2,49 pontos percentuais no IPCA. Ele é seguido pela energia elétrica residencial, com uma variação acumulada de 31,87%, e do etanol, que subiu 69,4%.

A explicação que a própria Petrobras deu para o aumento dos preços dos combustíveis está em vários fatores, mas, principalmente, no valor do petróleo e no câmbio. “ Os ajustes refletem também parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente ao crescimento da demanda mundial, e da taxa de câmbio”, afirma a empresa.

Gasolina e a possível privatização da Petrobras

Para o governo, uma possível solução para os preços alarmantes dos combustíveis seria a privatização da Petrobras. Sobre isso, Bolsonaro confirmou que tem conversado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o futuro da empresa energética e a opção de privatização, hipótese que ele admitiu ser “complicada.”

Ainda sobre a privatização da empresa, Bolsonaro afirmou que o processo “não é só botar na prateleira” e alfinetou a “burocracia” envolvendo a aprovação da privatização completa de estatais, afirmando que teria “privatizado muito mais” se não fosse necessária a aprovação da Câmara dos Deputados.

Além disso, Jair Bolsonaro voltou a criticar o cálculo do ICMS e o “beneficiamento” dos estados com o aumento do combustível. “A forma de calcular o ICMS é injusta. O ganho de governadores, toda vez que há reajuste no combustível, é muito grande”, afirmou.

O Presidente disse que, como alternativa, segue negociando com o Congresso para fazer com que cada um dos 26 Estados brasileiros fixem um valor nominal para o ICMS, imposto incidente sobre o produto.

Mais detalhes sobre o IPCA

O acúmulo medido pelo IPCA no último mês de novembro, é o maior já registrado desde 2015, apesar do ritmo de crescimento da inflação estar apresentado uma redução nos últimos meses.

Vale ressaltar que o índice não considera apenas a variação percentual, mas também o peso de cada item na composição do IPCA. Os preços dos automóveis novos, por exemplo, subiram 14,24% ante 15,99% dos automóveis usados, mas a contribuição deles na composição do índice é maior.

Também entram no top 10 dos maiores responsáveis pela alta na inflação, o o gás de botijão (alta de 38,88%), gastos com refeição (7,46%), aluguel residencial (6,59%), frangos em pedaços (33,57%) e passagens aéreas (36,53%).

Devido a Black Friday, que ocorre praticamente durante todo o novembro no Brasil, especialistas salientam que a alta de alguns produtos como o da gasolina, em especial os bens perecíveis (incluindo alimentos), foi menor devido aos descontos oferecidos durante o evento.

Avalie o Texto.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.