Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Empresa de cibersegurança define 2021 como “o ano do ransomware”

Aumento de 148% nos ataques globais de ransomware (495 milhões) no ano, faz de 2021 o pior ano que a SonicWall já registrou em relação a esse ponto

Para a SonicWall, fornecedora de soluções de cibersegurança, 2021 já pode ser considerado “o ano do ransomware”. Segundo os dados que a empresa acumulou de suas ferramentas, houve um aumento de 148% nos ataques de ransomware em todo o mundo no terceiro trimestre de 2021. Com 495 milhões de ataques do tipo registrados pela SonicWall neste ano até o momento, 2021 será o mais caro e perigoso ano já registrado.

LEIA MAIS: Risco de sequestro de dados faz empresa pedir para clientes desconectarem dispositivos da rede

O ransomware é um tipo de vírus que ficou bem conhecido em 2017 devido a um ataque em massa chamado WannaCry, que levou a perdas estimadas de US$ 4 bilhões à economia global. Os ransomwares são capazes de sequestrar computadores e servidores de empresas e pessoas, bloqueando o acesso aos dados e impedindo que se trabalhe. 

Devido ao risco desse ataque, o governo dos Estados Unidos organizou, este mês, uma cúpula global de ransomware, mostrando que não é só o setor de cibersegurança que reconhece o perigo. O encontro, que reuniu representantes de governos do Reino Unido, Índia, Austrália, Alemanha e França, bem como outros países da União Europeia, tinha o compromisso de juntar “todas as ferramentas nacionais” visando impedir ataques cibernéticos em setores críticos. 

A pesquisa mais recente da SonicWall confirma que os líderes têm motivos para preocupação. A empresa destaca que o ransomware está em uma tendência ascendente quase inimaginável, o que representa um grande risco para empresas, provedores de serviços, governos e cidadãos comuns. 

O volume de ransomware não diminui 

A SonicWall aponta que 2021 foi o ano mais ativo para ransomware já registrado e que ele não mostra sinais de desaceleração. Depois de registrar uma alta revolucionária em junho, de 78,4 milhões, esses ataques maliciosos continuaram a ter um crescimento agressivo no terceiro trimestre. 

Segundo a empresa, as técnicas implantadas por cibercriminosos evoluíram muito além dos ataques esmagadores de apenas alguns anos atrás, como o já citado WannaCry. Ela afirma que os ataques de hoje demonstram conhecimento, planejamento e execução capazes de implantar cirurgicamente variados conjuntos de ferramentas. A meta é atingir empresas e governos. Isso resulta em vítimas maiores e leva a resgates maiores, garante a companhia. 

Com 190,4 milhões de tentativas de ransomware apenas no terceiro trimestre, isso o torna o maior trimestre já registrado pela SonicWall, quase superando o total de 195,7 milhões de tentativas de ransomware registradas durante os três primeiros trimestres de 2020. 

Apesar dos movimentos dos governos para proteger as infraestruturas de tecnologia dos ataques, o Reino Unido viu um aumento de 233% no número de ataques de ransomware, enquanto os Estados Unidos testemunharam um aumento de 127% no acumulado do ano. 

Ao todo, a SonicWall registrou 1.748 tentativas de ransomware por empresa-cliente até o terceiro trimestre – o equivalente a 9,7 tentativas de ransomware por cliente a cada dia útil. A SonicWall prevê que os totais de ransomware no final do ano de 2021 chegarão a 714 milhões, um aumento surpreendente de 134% ano a ano. 

Tecnologia da SonicWall encontra mais variantes do que nunca 

A tecnologia Real-Time Deep Memory InspectionTM (RTDMI) da SonicWall descobriu 307 mil variantes de malware nunca antes vistas (73%) durante os três primeiros trimestres de 2021. Foi uma média de 1,1 mil descobertas por dia. Se ainda houver um número consistente de ataques, junto com a diversificação rápida, as nações precisarão começar a abordar o crime cibernético mais cedo ou mais tarde, defende a empresa. 

A companhia defende que, enquanto as organizações continuarem a negligenciar ou deixar de implementar as melhores práticas de segurança cibernética para reduzir sua superfície de ataque, os grupos de ransomware apenas aumentarão os investimentos em tempo, recursos e dinheiro para o lançamento de campanhas que resultem em pagamentos massivos. 

“Os danos ao mundo real causados por esses ataques são reais. É um problema que já afetou empresas e governos em todos os lugares. Tenho esperança de que a recente cúpula global do ransomware seja o próximo passo em direção a uma resposta maior em nível global, nacional e estadual”, afirma o presidente e CEO da SonicWall, Bill Conner.

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.