Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Além da Caixa, cidadão poderá receber AUXÍLIO de R$600 em 50 bancos do país

Segundo a Caixa, mais de 50 bancos estão participando do pagamento do auxílio emergencial de R$ 600.

A partir de hoje, a Caixa inicia os pagamentos da segunda parcela do auxílio emergencial de R$600. De acordo com o cronograma liberado pelo banco, são, ao todo, 3 calendários de recebimento da segunda parcela do auxílio de R$600. Os saques da segunda parcela vão até o dia 13 de junho.

O valor, antes de mais nada, é distribuído pela Caixa, porém, as pessoas podem indicar outros bancos se tiverem contas.

A princípio, os maiores bancos do país (Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander) lideram o ranking de instituições que receberam recursos, ficando em primeiro lugar o Banco do Brasil.

AUXÍLIO de R$600 em 50 bancos

Nesses casos, a movimentação do pagamento do auxílio e os saques, são realizados diretamente por meio dos canais físicos e digitais das instituições.

Acesse Agora as Principais Notícias no Brasil e fique atualizado

Na Caixa, do mesmo modo, recebem os clientes com conta poupança no banco e aqueles que não possuíam contas em outras instituições financeiras. Para eles, foi aberta uma conta Poupança Social Digital gratuitamente, cuja movimentação e saques também são feitos diretamente nos canais físicos e digitais do banco.

Confira abaixo o número de beneficiários que já foram atendidos nas dez principais instituições financeiras indicadas para o crédito do auxílio emergencial, bem como o valor creditado.

BancoQuantidadeValor (R$ milhões)
Banco do Brasil1.558.1901.041,9
Banco Inter67.95143,6
BCB22.05914,2
Bradesco693.598460,1
Itau Unibanco537.194355,1
Nu Pagamentos193.293123,7
Original20.67413,4
PagSeguro22.41314,9
Santander228.653152,1
Sicredi57.75234,7

Saiba quem pode receber o auxílio emergencial

O projeto altera uma lei de 1993, que trata da organização da assistência social no país. De acordo com o texto, durante o período de três meses será concedido auxílio emergencial de R$ 600 ao trabalhador que cumpra, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • seja maior de 18 anos;
  • não tenha emprego formal;
  • não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o bolsa-família;
  • a renda mensal per capita seja de até meio salário mínimos ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos;
  • que não tenha recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70. 

O auxílio vai ser cortado caso aconteça o descumprimento dos requisitos acima. O texto também deixa claro que o trabalhador deve exercer atividade na condição de:

  • microempreendedor individual (MEI); ou
  • contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe por conta própria; ou
  • trabalhador informal, seja empregado ou autônomo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), até 20 de março de 2020, ou que se encaixe nos critérios de renda familiar mensal mencionados acima.

A proposta estabelece que apenas duas pessoas da mesma família poderão receber cumulativamente o auxílio emergencial e o benefício do Bolsa Família, podendo ser substituído temporariamente o benefício do Bolsa Família pelo auxílio emergencial, caso o valor da ajuda seja mais vantajosa para o beneficiário. A trabalhadora informa, chefe de família, vai receber R$ 1.200.

Caixa diz que não vai fazer pagamento do Bolsa Família junto com auxílio de R$600

Pedro Guimarães, presidente da Caixa, em entrevista à CNN Brasil, disse que o banco não deseja que os pagamentos da segunda parcela do auxílio emergencial aconteçam no fim do mês, quando também acontece o pagamento do Bolsa Família. No entanto, o mandatário da CEF diz que a ideia ainda precisa ser discutida com o ministro da economia, Paulo Guedes e o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Um dos motivos das enormes filas nas agências da Caixa na semana passada foram os pagamentos simultâneos. Para Guimarães, os brasileiros “humildes” estão procurando a Caixa porque não entendem como funciona o sistema bancário.

“São 30 milhões de brasileiros que estão tendo conta pela primeira vez e nessa parte da população há uma necessidade de ajuda porque a grande maioria tem dificuldade em entender um aplicativo”, afirma o ministro.

Ainda, Guimarães afirmou que hoje, como no sábado, as agências da Caixa têm “menos filas, que estão andando mais rápida”. Ele ainda celebrou a decisão de abrir as agências mais cedo.

“A grande maioria [das agências] fecha às 14h, mas se houver movimento, continuamos a atender, muitas vezes até depois das 16h, quando o movimento é muito grande”, afirmou Pedro Guimarães.

Como pedir o auxílio

Os trabalhadores poderão solicitar o auxílio emergencial de R$600 das seguintes formas:

  • 1. O cidadão, no primeiro momento, deve acessar a página inicial oficial do site da Caixa (https://auxilio.caixa.gov.br/#/inicio);
  • 2. Na página seguinte, são mostrados os requisitos necessários para ter direito ao auxílio emergencial de R$600 a R$1.200;
  • 3. Após isso, o trabalhador informal deve preencher dados como nome completo, CPF e data de nascimento;
  • 4. Logo após, será necessário o preenchimento do número do celular para recebimento de um código de verificação por SMS;
  • 5. Assim chegar por SMS, o código de verificação deve ser colocado no campo “código recebido”;
  • 6. Feito isso, o cidadão deverá informar a renda, o ramo de atividade (as opções oferecidas pelo sistema são Agricultura e Pecuária, Extrativismo/Pesca, Comércio, Produção de Mercadorias, Prestação de serviços, Trabalho Doméstico, Outros), estado e cidade;
  • 7. Em seguida, o trabalhador escolhe se quer receber em conta já existente ou criar uma poupança digital;
  • 8. O trabalhador poderá escolher se deseja receber o valor do auxílio em uma conta já existente ou criar uma poupança digital;
  • 9. Após informar a opção, trabalhador deve fornecer seu documento (RG ou CNH;
  • 10. Em seguida vêm os dados fornecidos pelo trabalhador;
  • 11. Na tela final, aparece o aviso de que o pedido do auxílio emergencial está em análise.

Veja também: 

Leia Também:

brasil 123  
4 Comentários
  1. Rogério Magno da Silva Rodrigues Diz

    Ainda estou em análise, já é a segunda vez que peço o auxílio emergencial, e ainda não recebi nem a primeira parcela!

  2. Juliano Pereira da Silva Diz

    É muito triste o presidente da caixa em vez de facilitar faz conta digital muito brasileiro não tem Internet nem wattzap eles não tão nem aí para os menus favorecido. .é uma vergonha..

  3. Marinalva Diz

    Uma mentira esse auxílio emergencial, eu estou desempregada a cinco meses sem receber seguro desemprego pq foi pedida a demissão por motivos de saúde e a empresa não queria me demitir. Meu esposo recebe 1500,00 reais e minha filha 800,00 o que não equivale a renda de no máximo três salários mínimo por família. Eu estou me tratando de depressão grave, distúrbio de ansiedade com síndrome do Pânico e a linda Dataprev alegou que o piso salarial da minha família não dá direito a receber o auxílio emergencial. É muita pouca vergonha desse povo. Cada dia mais me envergonho de falar que sou brasileira.

  4. María Eduarda Diz

    Eu queria saber como ser faz o cadastro pra mãe adolescente
    O aplicativo só está maior de 18 anos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?