Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Crédito bancário atinge quase R$ 4 trilhões; Veja

O crédito bancário concedido pelas instituições financeiras aumentou 2% em novembro. Ou seja, empréstimos aumentram. Passando de R$ 3,871 trilhões em outubro para R$ 3,954 trilhões em novembro. Os dados foram repassados nesta quarta-feira (23) pelo Banco Central. Que também informou a taxa de juros médio das operações.

A princípio, a taxa média de juros de crédito bancário/empréstimos nas operações com recursos livres registrou queda.  O que, de acordo com especialistas, pode ter impulsionado ainda mais este resultado.

Ainda é possível destacar que o valor de empréstimos a pessoas físicas superou o ofertado para empresas.  Enquanto pessoas jurídicas contrataram um total de R$ 1,75 trilhão, as pessoas físicas atingiram o patamar de crédito bancário de R$ 2,2 trilhões. Ambos os perfis tiveram a concessão de crédito bancário 2% superior.

Em cálculo de 12 meses, a concessão de crédito bancário atingiu 14,5% no mês de outubro e 15,6% em novembro, de acordo com informações do Banco Central.

Mesmo com a aparente alta, os índices estão de acordo com o previsto pelo Banco Central. Era estimado que neste ano o aumento de crédito bancário atingisse o patamar de 15,6%.  Número que significou uma alta significante se considerado a 2019, quando foi registrado +6,5% neste tipo de serviço.

Já a taxa de inadimplência registrou queda de 0,1 ponto percentual em novembro no total.

Sendo que:

Pessoas físicas = inadimplência saiu de 3,1% para 3%.

Pessoas jurídicas = inadimplência saiu de 1,1% para 1,3%.

O aumento de crédito foi impulsionado pela pandemia do Covid-19, além de uma série de ações propostas pelo Banco Central.

Juros

Os juros bancários médios caíram %% pontos percentuais. Saindo de 26,5% ao ano em outubro para R$ 26,3% no mês de novembro. Com exceção da modalidade de crédito livre.

Cheque Especial

A taxa de juros aumentou de 112,9% ao ano em outubro para 113,6% ao ano em novembro.

Importante:  O cheque especial também costuma ter juros altos. Vale a pena verificar quantos dias você pode usá-lo no seu banco sem pagar nada. A maioria da limite de até 10 dias sem cobranças extras.

Cartão de crédito rotativo (Pessoa Física)

A taxa de juros aumentou de 317,4% ao ano em outubro para 319,8% ao ano em novembro.

Importante: Este tipo de juros é cobrado quando a pessoa não paga a fatura inteira do cartão de crédito e parcela o valor.

De acordo com especialistas, está é uma das linhas mais caras e por isso deve ser evitada a todo custo. Uma opção é verificar linhas de crédito com juros mais baixos e quitar a parcela do cartão de crédito. Vale ver condições de empréstimos.

Por fim, o ideal é que suas contas estejam em uma planilha e você não caia na armadilha que é usar o limite máximo do cartão de crédito.

Avalie o Texto.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.