CONSULTA VALORES A RECEBER: foi liberada hoje (28/02)? BC revela quando o DINHEIRO ESQUECIDO pode ser consultado

Consulta a Sistema Valores a Receber (SVR) será retomada e brasileiros poderão realizar saques em poucos dias

A espera, enfim, acabou! Muitas pessoas estavam ansiosas, aguardando o retorno das consultas ao dinheiro “esquecido” em bancos e instituições financeiras. O Banco Central (BC) , finalmente, informou a data de reabertura do Sistema de Valores a Receber (SVR) .

Depois de quase um ano de espera, os brasileiros poderão realizar consultas e saques dos valores a que têm direito. No início de 2022, uma parcela da população conseguiu fazer consultas e saques, mas a segunda fase do processo não aconteceu.

Aliás, o BC chegou a anunciar a segunda fase no ano passado, porém, a paralisação dos servidores do banco em 2022 impediu o retorno do sistema. Agora, as pessoas que tiveram que esquecer os planos feitos no ano passado poderão voltar a sonhar com o dinheiro “esquecido”.

Nesta segunda-feira, o Banco Central revelou que “a partir de (28/2), às 10 horas, será possível consultar se há valores a receber no sistema financeiro“.

Isso mesmo, os brasileiros poderão acessar o SVR a partir desta terça-feira, último dia de fevereiro e a espera de milhares de pessoas finalmente chegará ao fim.

Veja quando os saques irão retornar

O BC informou que as consultas poderão ser feitas a partir de hoje. No entanto, o que as pessoas mais querem saber é sobre a data de saques, até porque não adianta saber que possui dinheiro em instituições financeiras e não poder acessá-lo.

Os brasileiros que estão ansiosos pelo início dos saques terão que aguardar mais um tempo. De acordo com o BC, o SVR será reaberto em 7 de março, às 10h. Isso quer dizer que as pessoas terão que retornar ao site neste dia para solicitar a devolução do dinheiro.

Seja como for, o BC implementou algumas melhorias para os usuários:

  • Inclusão de todos os tipos de valores previstos na norma do SVR;
  • Compartilhamento e impressão das telas e protocolos de solicitação do SVR, inclusive pelo WhatsApp;
  • Sala de espera virtual para manter o SVR aberto por prazo indeterminado;
  • Consulta a valores de pessoa falecida, com acesso para herdeiro(a), testamentário(a), inventariante ou representante legal, informando os dados de contato da instituição responsável pelo valor e a faixa de valor;
  • No caso de conta conjunta, caso um dos titulares solicite o valor via SVR, o outro, ao entrar no sistema, poderá ver as informações da solicitação, como valor, data e CPF de quem solicitou.

Estas melhorias têm o objetivo de ampliar o valor que os brasileiros poderão receber, além de facilitar o acesso e a guarda das informações de cada usuário. O SVR também terá acesso sem agendamento e permitirá mais transparência para pessoas que têm conta conjunta.

Brasileiros devem ficar atentos a golpes

O BC também aproveitou para alertar sobre os riscos de golpes na internet. Isso porque as ações de criminosos no mundo virtual acabam ficando mais intensas quando há liberação de valores expressivos, como o do SVR.

A saber, esta segunda fase de consultas e saques do sistema irá liberar mais de R$ 6 bilhões para a população. Esse montante expressivo chama a atenção dos criminosos, que aumentam o número de golpes aplicados.

Assim sendo, o BC pede aos brasileiros mais ansiosos e que tenham pouco conhecimento tecnológico que fiquem ainda mais atentos. São estes os mais suscetíveis a caírem em golpes de criminosos, que acabam roubando dados e dinheiro das pessoas.

O BC elencou algumas informações imprescindíveis para que os brasileiros não caiam em golpes:

  • Todos os serviços do Valores a Receber são totalmente gratuitos;
  • O BC não envia links nem entra em contato para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais;
  • Somente a instituição que aparece no SVR é que pode contatar o cidadão;
  • Nunca forneça senhas, ninguém está autorizado a pedir sua senha.

Veja de onde vem o dinheiro “esquecido”

No início de 2022, o BC liberou a primeira fase de consultas e saques destes valores à população. A segunda fase teria início em abril, mas a greve dos servidores do BC, que durou de abril a julho do ano passado, afetou todo o calendário do sistema.

Embora a greve tenha chegado ao fim há meses, o BC ainda não conseguiu melhorar o SVR até agora. Assim, as pessoas que desejam consultar ou sacar os valores precisam esperar um pouco mais para isso.

A propósito, muita gente se pergunta de onde vem esse dinheiro “esquecido” em bancos e instituições financeiras. De acordo com o BC, os valores são provenientes de:

  • Conta corrente ou poupança encerradas, mas que ainda tinham saldo disponível;
  • Valores cobrados indevidamente de tarifas, parcelas ou operações de crédito;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas em cooperativas de crédito;
  • Valores relacionados a consórcios encerrados que não foram sacados;
  • Contas de pagamento pré ou pós-paga encerradas com saldo disponível;
  • Contas de registro mantidas por corretoras e distribuidoras encerradas com saldo disponível;
  • Outros recursos disponíveis nas instituições para devolução.

Vale destacar que muitas pessoas não sabem se possuem algum valor “esquecido” em instituições financeiras e bancos. Por isso, as atenções estão voltadas ao SVR, já que muita gente poderá ter uma boa surpresa em 2023, caso as consultas retornem este ano.

Caso você não lembre ou mesmo não tenha conhecimento se há dinheiro em contas antigas já fechadas, faça as consultas. Havendo valor em bancos ou instituições financeiras, você poderá fazer o saque posteriormente.

Valores superam R$ 100 mil

No ano passado, quando o BC anunciou a data das primeiras consultas, muita gente se apressou para fazer a conta no Gov.br. Em síntese, esta é a única maneira de acessar o dinheiro “esquecido” em bancos e instituições financeiras.

No entanto, o sentimento de frustração dominou a população brasileira, pois muitos brasileiros relataram ter recebido apenas centavos.

Com isso, as redes sociais ficaram repletas de críticas e indignações, mas também de muitos memes. Até porque, mesmo em situações difíceis, os brasileiros gostam de “rir da própria desgraça”, como disseram alguns usuários.

Embora a maioria das pessoas realmente tenha apenas centavos “esquecidos” nos bancos, existem alguns brasileiros com valores bem maiores.

Segundo o BC, há cerca de 37 mil cidadãos que possuem valores entre R$ 10 mil e R$ 100 mil em bancos ou instituições financeiras. Ou seja, muita gente ainda poderá receber valores bastante expressivos, apesar do sentimento de frustração que pairou sobre o SVR.

Isso sem contar que o saldo de outras 1,3 mil pessoas supera os R$ 100 mil. Portanto, fique ligado no Notícias Concursos para não perder nenhuma novidade sobre o assunto.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.