Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

CONFIRMADO: Receita Federal deve cancelar 1 milhão de CPFs com indícios de fraudes

A Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil iniciou operação de integridade e apurações de fraudes no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). A estimativa é de que mais de um milhão de CPFs serão cancelados.

Será realizado pela Coordenação-Geral de Gestão de Cadastros e Benefícios Fiscais (Cocad) uma apuração na sua base de dados para suspender os CPFs de brasileiros que podem ter morrido. A ação terá várias fases, organizadas em lotes mensais. A ação verificará 1.007.965 documentos. No primeiro lote serão suspensos cem mil documentos.

Com a ação, o intuito é de que o CPF de um brasileiro que já faleceu não seja utilizado por terceiros para cometer crimes tributários e outras irregularidades. Será possível qualificar a identificação da pessoa e, por consequência, melhorar a eficiência de políticas públicas que fazem uso de informações do CPF, como aconteceu, por exemplo, com o auxílio emergencial.

Quem teve o CPF cancelado e desejar contestar a suspensão e regularizar a situação deve entrar em contato com a Receita Federal. Os canais de atendimento estão no disponíveis no site oficial. Há o centro virtual de atendimento, o chat da Receita Federal, atendimento presencial e atendimento via e-mail, todos dispostos na página.

Receita Federal envia HOJE cartas para quem caiu na malha fina

Um um total de 334.338 contribuintes do Imposto de Renda Pessoa Física que possuem a declaração retida na malha fina receberão cartas da Receita Federal. Na carta, será solicitado ao contribuinte que verifique as pendências no processamento da declaração e faça as correções.

As correspondências foram enviadas até este mês de novembro para os contribuintes que podem autorregularizar-se. O contribuinte que foi intimado ou notificado pela Receita Federal a prestar esclarecimentos não receberá a correspondência.

Dentre os principais motivos que levam os contribuintes à malha fina do Imposto de Renda está a omissão de rendimentos, seja do titular ou de seus dependentes. É comum esquecer, por exemplo, de informar um bico feito no ano-base, ou deixar de informar a bolsa-auxílio que o filho recebe no estágio.  

Vale salientar  que, informar gastos com saúde que não possam ser comprovados ou que constam dados diferentes dos que foram declarados pelo médico também é um dos principais motivos.

Para verificar a situação perante o Fisco, o contribuinte pode consultar o extrato da declaração através do site da Receita. Ao acessar, o contribuinte deve clicar no menu “Onde Encontro?”, na opção “Extrato da DIRPF (Meu Imposto de Renda)”, utilizando código de acesso ou uma conta Gov.br.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

4 Comentários
  1. Marcel Diz

    Poca vergonha do governo so cobra mas fazer e nada isso sim e roubar na cara dura de quem se lasca no sol quente e o governo so na fara bando de vagabundos de palito ????????????
    Agora eu vi tenho que pagar para trabalhar e ai e melhor fica em casa ???????,,,,

  2. Zélia Diz

    O pior que são pessoas idosas com mais de 80 anos, vivas e gosando de boa saúde, enquanto isso os rauls tão aí fazendo a festa no INSS com ajuda de muitos que trabalham lá dentro, más injustiça social e assim, os criminosos sempre de dão bem.

  3. ANTONIO ALVES PINTO Diz

    COMO FASSO PARA SI CADASTRAR,TEM 65 ANOS,DEI ENTRADA NA MINHA APOSENTADORIA EM 08 DE MAIO 2020 ATÉ AGORA NADA.

  4. MIGUEL De Arruda Prado Diz

    Olá o meu CPF foi broqueiado pela receita Federal eu sou apenas um cidadão trabalhador sou um guia de turismo mas não estou exercendo a função de guia por devido a pandemia estou fazendo alguns bico de trabalho estão me cobrando 267 reais ou mas pra regularizar meu CPF eu não tenho renda alta nem média como vou pagar isso se nem o meu emprego tou exercendo preciso de uma ajuda nosso oque eu vou fazer pra liberar meu CPF

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.