Cinco moedas de 50 CENTAVOS com mesmo erro valem R$ 1.400

Cinco moedas de 50 CENTAVOS com o mesmo erro valem R$ 1.400

Colecionadores buscam moedas com características que as tornem incomuns e raras, dispondo-se a pagar valores elevados pelas peças

O colecionismo de moedas continua atraindo muitas pessoas no país. Quem acessa a internet diariamente tem grandes chances de encontrar conteúdos sobre o tema, com peças sendo vendidas a valores impressionantes.

Aliás, diversas pessoas não entendem como uma moeda de alguns centavos pode valer centenas ou milhares de reais. Em resumo, isso acontece devido aos numismatas, que se mostram dispostos a pagarem altas quantias por itens que, teoricamente, valem muito pouco no país.

A propósito, você já ouviu falar em numismática? O termo se refere ao estudo de cédulas, moedas e medalhas sob o ponto de vista histórico, artístico e econômico. Além disso, o nome também é utilizado muitas vezes para designar o ato de colecionar estes itens.

Esse universo vem crescendo fortemente no Brasil nos últimos tempos. Por isso, tornou-se cada vez mais comum encontrar pessoas dispostas a pagarem caro por moedas que possuem valores faciais baixos. É o caso de cinco moedas de 50 centavos que possuem o mesmo erro e estão valendo R$ 1.400.

Embora isso seja difícil de acreditar, existem pessoas que não se importam com o valor monetário das moedas, pois isso é tido apenas como um detalhe. O que realmente importa para os numismatas são as características que tornam os itens raros.

Veja o que aumenta o valor dessas peças

Muitas moedas fazem sucesso entre os colecionadores e passam a ter valores muito altos. Isso acontece devido a características únicas destes modelos, encontradas em poucos exemplares.

A propósito, as principais características que valorizam um item são tiragem baixa, fabricação de exemplares para datas comemorativas, modelos com erro de cunho ou fabricação e poucas unidades em circulação no país.

Em suma, essas são as principais características que tornam uma moeda bem mais valiosa do que ela é. Como os colecionadores buscam itens raros e únicos, estes fatores chamam a atenção e os fazem pagar caro para terem os itens.

Confira 5 moedas de 50 CENTAVOS que valem R$ 1.400

No Brasil, a Casa da Moeda fabrica o dinheiro conforme os pedidos do Banco Central. Os modelos devem ser idênticos, visto que a cunhagem ocorre de maneira automática, com as mesmas chapas.

Contudo, nem sempre as coisas saem como o planejado e alguns itens acabam apresentando algum defeito. São estes exemplares que costumam ter um valor mais expressivo para os colecionadores, pois são únicos.

Isso aconteceu com algumas moedas de 50 centavos, que possuem o mesmo erro de fabricação: não possuem inscrição no bordo. Esse erro foi encontrado em modelos de diversos anos, e cada modelo possui um valor específico, que pode variar conforme a tiragem anual das peças.

Por exemplo, quanto menos unidades produzidas, mais caro tende a ser o item, pois há menos chances de encontrar modelos com erros de fabricação, já que houve menos peças fabricadas no país.

De acordo com o Catálogo Ilustrado Moedas com Erro, os modelos de 50 centavos sem inscrição no bordo podem valer de R$ 200 a R$ 400. A falha foi encontrada em moedas fabricadas em 2002, 2003, 2009, 2010 e 2011 e os seus valores podem ser conferidos na imagem a seguir.

Moedas de 50 centavos de 2002 a 2011
Moedas de 50 centavos de 2002 a 2011. Imagem: Catálogo Moedas com Erros.

Estado de conservação influencia valor dos itens

As moedas recebem algumas classificações quanto ao seu estado de conservação. O primeiro termo se chama flor de cunho, que se refere aos exemplares que não circularam, ou seja, não apresentam qualquer sinal de desgaste ou manuseio. Em outras palavras, são moedas que não possuem marcas e estão em perfeito estado de conservação.

Por sua vez, o estado de soberba se refere às moedas que apresentam, aproximadamente, 90% dos detalhes da cunhagem original. Em resumo, os exemplares que tiveram uma pequena circulação se enquadram neste segmento.

Já a moeda muito bem conservada (MBC) se caracteriza por ter mais sinais de manuseio e uso. Os itens devem apresentar, aproximadamente, 70% dos detalhes da cunhagem original. Além disso, o seu nível de desgaste deve ser homogêneo, sem ter um local bem mais desgastado que outro.

Como vender itens raros?

Os interessados em vender seus exemplares podem conseguir isso através de diversas maneiras. Confira abaixo as principais formas de vender moedas raras para colecionadores.

  • Entrar em grupos de colecionadores em redes sociais, como o Facebook;
  • Acessar lojas especializadas na compra e na venda de moedas raras, tanto físicas quanto online;
  • Participar de leilões de moedas raras, principalmente de itens que tenham alto valor;
  • Buscar plataformas online como Mercado Livre e Shopee, pois possuem muitos usuários interessados em colecionar moedas raras.

Por fim, as pessoas devem aumentar o conhecimento no tema e ganhar experiência no mercado para conseguirem preços justos. Cabe salientar que os leilões oferecem um ambiente competitivo, aumentando as chances de venda das moedas a preços mais elevados.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.