Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Brasil registrou um saldo de 372 mil novos postos de trabalho em agosto

O Brasil registrou um saldo de 372.265 novos trabalhadores contratados em postos de trabalho com carteira assinada no mês de agosto. Desse modo, o saldo resulta de um total de 1.810.434 admissões e 1.438.169 desligamentos. O Ministério do Trabalho também divulgou dados sobre o salário médio dos brasileiros.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), divulgado no dia de hoje pelo Ministério do Trabalho, o salário médio de admissão caiu 1,42% na comparação com o mês anterior. Nesse sentido, o valor do salário médio ficou em R$ 1.792,07.

Além disso, no acumulado do ano, o saldo de postos de trabalho passou a somar 2.203.987 postos ocupados. O saldo total é decorrente de 13.082.860 admissões e 10.878.873 desligamentos. Sendo assim, o estoque nacional é a quantidade total de vínculos celetistas ativos que, em agosto de 2021, contabilizou 41.566.955. O que representa uma variação de 0,9% em relação ao estoque do mês anterior.

Ademais, segundo o Novo Caged, os cinco grandes grupamentos econômicos registraram saldo positivo em seus postos de trabalho no mês de agosto. Eles são: serviços (180.660 postos), indústria geral (72.694 postos), indústria de transformação (69.266 postos), construção (32.005 postos) e agricultura (9.232 postos).

Registros das regiões e estados

A Região Sudeste foi a que gerou mais postos de trabalho. Sendo que seu saldo positivo ficou em 185.930 vagas, o que corresponde a um aumento de 0,88% em comparação com julho. No Nordeste foram criados 82.878 postos (crescimento de 1,25%); na Região Sul (54.079 postos, +0,69%), no Centro-Oeste (+29.690 postos, +0,84%) e no Norte (+19.778 postos, +1,03%).

Na região Sudeste, São Paulo foi o estado que registrou maior saldo positivo em agosto. Foram gerados 113.836 postos de trabalho (crescimento de 0,89% ante julho). Em seguida aparecem Minas Gerais (43.310 novas vagas, +0,99%) e Rio de Janeiro com 22.960 novos postos de trabalho, alta de 0,71% em comparação com julho.

Já a região com menor saldo de postos de trabalho foi o Norte do país. Dessa maneira, o Acre foi o estado com menor saldo (346 novos postos, crescimento de 0,38% ante julho, seguido de Roraima (saldo de 592 novos postos, crescimento de 0,98%) e o Amapá (saldo de 882 pontos, crescimento de 1,28%).

Salário médio de admissão nos postos de trabalho

O salário médio de admissão apresentou uma queda real de R$ 25,78 nesse mês de agosto, em comparação com julho, ficando em R$ 1.792,07). Sendo assim, a variação corresponde a um percentual de -1,42%.

A maior queda do salário médio foi na indústria, onde a redução do valor médio de admissão resultou em um salário inicial de R$ 1.755,22 (-2,83%). Na sequência ficaram os postos de trabalho do setor de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, cuja queda média no salário de admissão foi de 2,56%, resultando em um salário R$ 1.493,27.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.