Bolsa Família: prefeituras iniciam campanhas para pesagem de usuários

Bolsa Família: prefeituras iniciam campanhas para pesagem de usuários

Milhares de usuários do programa Bolsa Família estão prestes a perderem o programa por falta de acompanhamento de saúde

O Bolsa Família é um dos principais programas de transferência de renda do país, e ajuda milhões de brasileiros todos os meses. Entretanto, estes cidadãos precisam ficar atentos para as condicionantes, para não correrem o risco de serem excluídos do projeto do governo federal.

Com a chegada do final do ano, cresce uma nova preocupação neste sentido: muitos usuários ainda não atualizaram os seus dados de saúde, e correm o sério risco de perderem o Bolsa Família. De acordo com as informações do Ministério do Desenvolvimento Social, Família e Combate à Fome, o acompanhamento precisa ser feito ao menos duas vezes por ano.

Nas últimas semanas, prefeituras de todas as regiões do país começaram a trabalhar em campanhas internas para convocar a população para a realização desta atualização. Em alguns casos, até mesmo mutirões estão sendo realizados aos finais de semana, para facilitar a ida destas famílias aos pontos de saúde dos respectivos municípios.

O caso de Sinop

É o caso, por exemplo, da prefeitura da cidade de Sinop, no Mato Grosso. A gestão municipal anunciou que vai abrir duas Unidades Básicas de Saúde no próximo sábado (11). A ideia é justamente atender as famílias que possuem cadastro ativo com o Bolsa Família, do governo federal.

Na cidade, estima-se que cerca de 9,3 mil famílias estejam aptas ao recebimento do benefício, mas boa parte delas ainda não conseguiu realizar a atualização de saúde.

Serviço:

Segundo a prefeitura, as unidades abertas estão localizadas nos bairros Sebastião de Matos e de Boa Esperança, das 7h às 16h. Não há necessidade de realizar nenhum tipo de agendamento, ou seja, basta se dirigir até a unidade mais próxima da sua residência, levando consigo os seguintes documentos:

  • documento de identificação;
  • cartão SUS;
  • carteira de vacinação das crianças;
  • caderneta da gestante;
  • Cartão Bolsa Família.

“Os atendimentos são feitos por ordem de chegada, e o público alvo da pesagem obrigatória são crianças menores de 7 anos, gestantes e mulheres. Vale ressaltar que esse serviço é ofertado de segunda a sexta-feira em todas as UBS’s do município, das 7h às 11h, e das 13h às 16h30”, diz a prefeitura local.

“Convocamos as famílias para participarem, por meio dessa avaliação também podemos garantir que as famílias em situação de vulnerabilidade tenham acesso aos serviços de saúde preventivos para identificar os problemas de saúde mais cedo e trabalhando a prevenção”, pontuou a coordenadora Lucélia Rosa da Cruz.

Ministério defende medida

Por meio de nota divulgada recentemente, o Ministério da Saúde defendeu as condicionantes do programa Bolsa Família, e classificou as medidas como importantes para os usuários.

“O cuidado com a saúde é prioritário para adesão das famílias ao programa. No Sistema Único de Saúde (SUS), o acompanhamento do bebê e da mãe começa a partir do momento em que a gravidez é confirmada, através do teste rápido e gratuito”, disse o Ministério.

“A partir daí, a mulher passa a ter acesso a consultas de pré-natal, onde recebe todas as orientações e apoio necessários ao acompanhamento da gestação, incluindo a realização de exames, vacinas e ecografias. Para receber o acompanhamento do pré-natal gratuitamente pelo SUS, é só procurar uma Unidade Básica de Saúde mais próxima.”

Bolsa Família: prefeituras iniciam campanhas para pesagem de usuários
Prefeitura de Sinop vai intensificar campanha neste final de semana. Imagem: Reprodução

Atualização do Bolsa Família

Para além do acompanhamento da situação da saúde, o usuário que faz parte do Bolsa Família também deve atentar para a atualização das informações do Cadúnico. Nesta semana, o Ministério do Desenvolvimento Social confirmou que vai seguir realizando o pente-fino, e quem está com o cadastro desatualizado corre o risco de ser bloqueado.

Vale lembrar que Cadastro Único do governo federal precisa ser atualizado sempre uma vez a cada dois anos, ou sempre que houver uma mudança estrutural na família, como uma morte, um nascimento, uma mudança de endereço, ou até mesmo uma alteração na escola das crianças, por exemplo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.