Bolsa Família com parcelas TRIPLAS? Veja quem pode receber o benefício

Fique atento à integridade das informações no CadÚnico

O Bolsa Família é um programa de transferência de renda do governo federal. Além de garantir renda básica para as famílias em situação de pobreza, o programa busca integrar políticas públicas, fortalecendo o acesso das mesmas a direitos básicos como saúde, educação e assistência social.

Na prática, o Bolsa Família tem o foco de resgatar a dignidade e a cidadania das famílias também pela atuação em ações complementares por meio de articulação com outras políticas para a superação da pobreza e transformação social, tais como assistência social, esporte, ciência e trabalho.

Como se sabe, desde março de 2023, o Bolsa Família tem um novo desenho e segue com constantes revisões para garantir que as pessoas que efetivamente precisem do benefício estejam enquadradas na folha de pagamentos.

Cadastro Único é essencial para se manter no Bolsa Família

O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) é a porta de entrada, ou seja, a principal ferramenta de identificação e seleção de famílias que podem se beneficiar de uma variedade de programas sociais, entre eles, o Bolsa Família.

Afinal, é por meio deste banco de dados que o governo federal identifica quem atende os requisitos do programa, para incluir na lista de pagamentos.

E que história é essa de parcela tripla?

Como mencionado, o governo realiza constantes revisões, tanto nos registros do Cadastro Único, como do Programa Bolsa Família. Assim, quando são identificadas inconsistências, o depósito do benefício fica suspenso.

Contudo, desde que esclarecidas as informações e apresentados os devidos documentos comprobatórios, o cidadão retoma o direito do repasse. Assim, pode acabar recebendo retroativamente até três parcelas do Bolsa Família, caso tenha ficado com esse atraso no pagamento.

A saber, o número de parcelas dependerá da quantidade de meses em que o beneficiário ficou sem o repasse até acertar as pendências.

O que é preciso para resolver tais inconsistências?

Muito bem! Quem tiver a suspensão do Bolsa Família deve ter como primeiro passo buscar orientação e iniciar o processo de regularização de sua situação junto ao Cadastro Único.

Isso inclui uma visita ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo. Lá, você terá detalhes das pendências e saberá como contorná-las.

Por fim, mesmo para quem não teve o pagamento suspenso, vale uma dica! Mantenha o seu registro no Cadastro Único atualizado, de forma a refletir a realidade da sua composição familiar.

Dessa forma, não omita nenhuma informação, pois o governo realiza o cruzamento de diversos bancos de dados, e qualquer inconsistência identificada poderá levar à suspensão do Bolsa Família.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.