Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Biologia: O que é acidificação oceânica e suas causas

A acidificação dos oceanos é o processo pelo qual o aumento do carbono dissolvido torna a água do mar mais ácida. Embora a acidificação dos oceanos ocorra naturalmente ao longo de escalas de tempo geológicas, os oceanos estão se acidificando em um ritmo mais rápido do que o que o planeta já experimentou antes.

Espera-se que a taxa sem precedentes disso tenha consequências devastadoras para a vida marinha, especialmente crustáceos e recifes de coral.

Os esforços atuais para combater a acidificação dos oceanos estão amplamente focados em desacelerar o ritmo desse processo. Assim como em reforçar os ecossistemas capazes de amortecer os efeitos totais.

Entenda melhor o assunto.

O que causa a acidificação dos oceanos?

Hoje, a principal causa da acidificação dos oceanos é a liberação contínua de dióxido de carbono em nossa atmosfera a partir da queima de combustíveis fósseis. Outros culpados incluem a poluição costeira e infiltrações de metano no fundo do mar.

Desde o início da revolução industrial há cerca de 200 anos, quando as atividades humanas começaram a liberar grandes quantidades de dióxido de carbono na atmosfera da Terra, a superfície do oceano tornou-se cerca de 30% mais ácida .

O processo de acidificação dos oceanos começa com o dióxido de carbono dissolvido.

Como nós, muitos animais subaquáticos passam por respiração celular para gerar energia, liberando dióxido de carbono como subproduto.

Entretanto, muito do dióxido de carbono que se dissolve nos oceanos hoje vem do excesso de dióxido de carbono na atmosfera da queima de combustíveis fósseis.

Uma vez dissolvido na água do mar, o dióxido de carbono passa por uma série de mudanças químicas.

O dióxido de carbono dissolvido primeiro se combina com a água para formar o ácido carbônico. A partir daí, o ácido carbônico pode se fragmentar para gerar íons de hidrogênio autônomos.

Esses íons de hidrogênio em excesso se ligam aos íons de carbonato para formar bicarbonato. Eventualmente, não restam íons de carbonato suficientes para se anexar a cada íon de hidrogênio que chega à água do mar via dióxido de carbono dissolvido.

Em vez disso, os íons de hidrogênio autônomos se acumulam e diminuem o pH, ou aumentam a acidificação, da água do mar circundante.

Em condições não acidificantes, muitos dos íons carbonato do oceano são livres para fazer conexões com outros íons no oceano, como os íons de cálcio para formar carbonato de cálcio.

Para animais que precisam de carbonato para formar suas estruturas de carbonato de cálcio, como recifes de coral e animais construtores de conchas, a maneira como a acidificação do oceano rouba íons de carbonato para produzir bicarbonato reduz o reservatório de carbonato disponível para infraestrutura essencial.

Leia também – Biologia: Entenda a importância dos decompositores 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.