Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Banco Central: medidas de combate aos efeitos da pandemia e seus impactos

Confira alguns resultados obtidos pelo Banco Central referentes às medidas de combate aos efeitos da pandemia. Saiba mais!

Confira alguns resultados obtidos pelo BC referentes às medidas de combate aos efeitos da pandemia

O Banco Central do Brasil, BC, divulgou alguns resultados obtidos através das medidas de combate aos efeitos da pandemia causada pelo coronavírus. Confira algumas dessas ações.

Medidas e impactos observados

Compulsório + Liquidez de curto-prazo (LCR)

A liberação de compulsório decorrente da redução da alíquota sobre depósitos a prazo de 31% para 25% e o aperfeiçoamento no cálculo do LCR resultaram num incremento de R$ 135 bi na liquidez disponível no SFN.

Liberação de adicional de compulsório

A redução da alíquota para 17% resultou na liberação adicional de compulsório no montante de R$ 70 bilhões.

Flexibilização de LCA

Conforme informa o BC, o impacto de R$ 2,2 bi foi integralmente realizado quando da implantação da medida.

Empréstimo com lastro em LF garantidas
  • Primeira tranche  (pedidos até 30 de abril): Liberação de R$ 20,6 bilhões a 30 instituições. 
  • Segunda tranche (pedidos até 28 de maio) – Liberação de R$ 9,5 bilhões a 23 instituições (das quais 8 são novas instituições). 
  • Terceira tranche (pedidos até o dia 26 de junho) – Liberação de R$ 7,6 bilhões a 16 instituições (das quais 4 são novas instituições). 
  • Quarta tranche (pedidos até 31 de julho) – Liberação de R$ 7,5 bilhões a 15 instituições (das quais 2 novas instituições).
  • Quinta tranche (pedidos até 27 de agosto) – Liberação de R$ 5,4 bilhões a 17 instituições (das quais 3 são novas instituições).
  • Sexta tranche (pedidos até 24 de setembro) – Liberação de R$ 6,8 bilhões a 20 instituições (das quais uma é nova instituição).
  • Sétima tranche (pedidos até 29 de outubro) – Liberação de R$ 6,1 bilhões a 20 instituições (das quais uma é nova instituição).
  • Oitava tranche (pedidos até 26 de novembro) – Liberação de R$ 6,6 bilhões a 22 instituições.
  • Nona tranche (pedidos até 21 de dezembro) – Liberação de R$ 35,1 bilhões a 35 instituições (das quais duas são novas instituições).

Conforme informa o Banco Central, total: Liberação de R$ 105,1 bilhões contemplando 51 instituições. Em razão dos resgates já efetuados, o saldo devedor em 31/dezembro é de R$ 67,8 bilhões.

Compromissadas com títulos soberanos brasileiros

A medida propicia liquidez em moeda estrangeira às instituições financeiras nacionais, tendo como garantia títulos soberanos do Brasil (Global bonds) detidos por essas instituições. 

O BC informa que desde a sua adoção foram realizadas operações no valor total de USD 9,30 bilhões (R$ 49,56 bilhões). O valor máximo “em ser” foi de USD 4,36 bilhões (R$ 23,23 bilhões) e atualmente não há operações “em ser”. OBC observa que foi utilizada a cotação da Ptax de venda do dia 25/06/2020, 5,3287 R$/U$.

Alteração no cumprimento do compulsório de poupança
Posição de 31 de dezembro: dedução da exigibilidade de compulsório totalizou R$ 64,4 bilhões, dos quais:
  • contratação de operações para capital de giro de R$ 56,8 bilhões;
  • DPGE para os segmentos S3 e S4: R$ 7,6 bilhões.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.