Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Auxílio emergencial chega ao fim e deixa 48 milhões sem ajuda do governo

O governo federal finalizou os pagamentos do auxílio emergencial nesta terça-feira (29). O último dia de pagamento foi válido para os beneficiários que nasceram em dezembro. Apesar dos pagamentos terem sido finalizados, o calendário de liberação de saque e transferência continua até o fim de janeiro de 2021.

Até agora, a Caixa Econômica Federal já fez o pagamento de R$ 291,8 bilhões para 67,9 milhões de brasileiros. O dinheiro é depositado em conta poupança social digital da Caixa e num primeiro momento pode ser utilizado apenas pelo aplicativo Caixa Tem. No app, é possível fazer compras em supermercados e farmácias pelo cartão de débito virtual ou QR Code. O último grupo, de beneficiários nascidos em dezembro, pode fazer o saque do valor a partir de 27 de janeiro de 2021.

De acordo com dados do Ministério da Cidadania, os programas de transferência de renda do governo conseguiram reduzir a extrema pobreza em 80% em 2020. Atualmente, estima-se que haja 2,1% da população brasileira vivendo na extrema pobreza. Sem esses programas, o índice seria de 12,4%. Segundo o Pnad Covid-19, feito pelo IBGE, o benefício emergencial esteve presente em aproximadamente 40% das presidências do Brasil. Em julho, esse índice chegou ao pico de 44,1%.

Com o fim do programa, 48 milhões de trabalhadores informais, autônomos e microempreendedores individuais (MEIs) ficarão sem ajuda financeira do governo a partir de janeiro de 2021, mesmo com o aumento de casos de Covid-19 e restrições estabelecidas por alguns setores para evitar aglomerações.

Os beneficiários do Bolsa Família que recebiam o auxílio emergencial voltam a receber o programa original em janeiro de 2021. O Bolsa Família atende 19,2 milhões de pessoas que migraram para o auxílio em abril.

A equipe econômica do governo de Jair Bolsonaro já propôs alternativas ao fim do auxílio. Mas Bolsonaro vetou as medidas, afirmando que não tiraria dos pobres para dar aos “paupérrimos”. Entre as medidas sugeridas estavam o congelamento da aposentadoria acima do salário mínimo e ajustes em programas sociais em andamento.

Avalie o Texto.

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

11 Comentários
  1. Creusa Ferreira Alves Diz

    Tenho 71anos 4 netos pra criar estou desepregada desde o comeco da pandemia recebo bolsa familia que 253.00 reais esses meses que recebi foi assim 25300
    bolsa familia 347 auxílio extencao so que.eles somam osdois pra dar os 600 reais

  2. Roberto de Oliveira Diz

    Muitas gente vai passar fome nesse mundo nosso só Deus por noz

  3. Iris Reis da Cunha Matos Diz

    Recebi a primeira parcela em agosto, entrei em avaliação e até hoje não obtive resposta .Vou ficar sem resposta?

  4. Daniel Diz

    Como pode querer aprovar um salário emergencial de $ 1.000,00 para outras entidades, sendo que nem o 14 salário não aprovaram .
    Os aposentados sempre ficam para traz isso porque trabalhamos 30 , 40 , 50 , anos de nossas vidas pagamos mentalmente ao INSS tudo para o crescimento do nosso País, agora na velhice dão um salário mínimo desatualizado para nós e diz que está bom , realmente o idoso e colocado para traz.
    Gostaria de ver esse político viverem com um salário mínimo , ou que você tirado todos os benefícios e baixacem os salários .
    Bom na minha opinião deveria trabalhar no lugar vereador , deputado , senador pessoas concursadas e outra coisa diminuir urgente vereadores deputados senadores juízes tem muita gente mamando na grana das prefeituras e governo que não fazem nada não entendem nada so estatus so atrapalhando fora os cabides de empregos sendo mais patentes com altos salários , tirado dos nossos esforços , impostos abusivos, já tá na hora de mudar esse salário mínimo para maior trabalhamos para ter um pouco de felicidades e descalço e voceis políticos roubam dia a sua de nos.
    Com a palavra Sres políticos e Presidente
    Qual é a desculpa ? Abaixem seus salários repito tirem as mordomias muita grana vai sobrar.

  5. Cidadã Diz

    Reduziu a pobreza em 80% que mentira, não temos culpa se as empresas não estão abrindo vagas em numero suficiente,longe disso, o gov repassava um auxílio miserável e agora nem isso,milhões de famílias na linha da miséria, minha região não está empregando,nem para quem tem curso superior pior ainda para mão de obra com baixa escolaridade,sabemos que o gov desde o início relutava em PG auxílio, foi graças a pressão da oposição, não tem projeto descente de imunização da população,como ficaram essa multidão de desassistidos, Sr Jair Bolsonaro dê adeus à 2022, os votos Ruralistas e elite não seram suficiente para o reeleger.

  6. Marinês Vital dos Santos Diz

    Esse auxílio tem e precisa ser mantido.
    Com a alta de desemprego como ficará as famílias de muitíssima baixa renda.
    Tira dos poderosos,ricos na política e repassa para os menos favorecidos.

  7. Eiseti d Silva Machado Diz

    e daí como ficamos

  8. Sandra Valéria pessato Diz

    O que vai ser de muita gente doente e sem emprego e filhos pra criar sem saída pra muita gente vai ser uma pandemia de assaltos e saques pra muita gente viver

    1. Tânia Duarte Diz

      Os governantes nao estão nem ai pra nós não só querem proibir os cantores os restaurantes as escolas as mtas outras empresas de trabalharem enquanto eles tão ganhando o deles pra ficar nos seus gabinetes atoa pork nao tão nem ai pros mais pobres quenem podem trabalhar mais pode agora até tirou a única coisa que mtas pessoas tavam dependendo desse dinheirinho o do auxílio emergencial entao que liberam os comércios as escolas os eventos as empresas da oportunidades pro povo trabalhar principalmente pra kem passou até fome pra fazer uma faculdade e as empresas as escolas os comercios etc nao podem contratar é falta de fazer uns bons protesto tds os brasileiros baixar la pra Brasília pros palácios dos governadores prefeitos deputados senadores etc ai sim kero ver se eles nao dão jeito das coisas voltarem ao normal no mundo no Brasil

    2. Jefferson Vasconcelo do Carmo Diz

      Um líder de qualquer área, nesse caso na política, pode e deveria tirar um pouco de dentro de casa pra investir em quem ele lidera lá fora.

      O que quero dizer com isso que, a pobreza em nosso país pode ser evitado sim.

      É só os políticos tirarem todos tipos de auxílios que eles msm possuem e converter isso em ajudas para o povo..

      Investir em empregos para o povo e trabalharem pra ganhar o próprio dinheiro dignamente trabalhando, ajudar financeiramente falando aqueles que não podem de nenhuma forma trabalhar.

      Mas a intenção não é dá dinheiro de graça pq aí o povo tbm acostuma, mas é ajuda cada pessoa da forma que ela pode… Quem consegue trabalhar, gerar empregos pra essas pessoas, quem não pode trabalhar aí sim libera algum valor pra esses.

      Isso gera trabalho? Sim, mas é uma saída…. Isso sim é uma forma de ajudar o povo, saber quem é quem e ajudar conforme a realidade de cada um.

      Um político já recebe muito bem pra precisar receber outros tipos de benefícios.

      Benefícios é pra quem precisa… Enfim… Avança Brasil

    3. Beatriz Diz

      A solução seria retirar dos marajás para redistribuir à população que paga os polpudos salários de Senadores, deputados e afins.
      Cortar o número de assessores, retirar carros oficiais, pagar apenas viagens essenciais, acabar com auxílio moradia, auxílio paletó, auxílio transferência.
      Só nos itens que mencionei acima seria gerada uma enorme economia mensal que poderia ajudar a população em tempos difíceis.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.