Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio de R$ 300: 17 milhões ficarão sem parcelas; Entenda!

Mais de 17 milhões de beneficiários que começaram a receber o auxílio emergencial a partir de maio podem não receber todas as parcelas.

De acordo com a equipe econômica, nenhum pagamento será feito no ano que vem. Portanto, os beneficiários receberão os valores em 2020. O total de beneficiários chega a 67,7 milhões.

A suspensão do pagamento pode se tornar um alvo de judicialização e pode gerar um passivo para a União, caso as famílias busquem todas as parcelas a que teriam direito se tivessem sido aprovadas antes. Problemas técnicos do sistema e erros nos cadastros levaram muitos trabalhadores a serem rejeitados, o que atrasou a aprovação do benefício.

De acordo com dados do Ministério da Cidadania, quase 900 mil beneficiários começaram a receber as parcelas em agosto, quando o prazo do cadastro já  havia findado.

Ainda, Dados do Painel Interinstitucional de dados abertos sobre o coronavírus, criado pelo Conselho Nacional de Justiça, apontam 140 mil ações judiciais relativas ao auxílio emergencial. Atualmente, é considerado o assunto mais demandado, com um total de quase 200 mil ações apresentadas.

O painel é resultado da integração de dados de alguns órgãos do Judiciário, como CNJ, Ministério Público Federal, Advocacia-Geral da União e Defensoria Pública da União.

De acordo com a DPU (Defensoria Pública da União), existe a possibilidade de surgir uma nova onda de judicialização. “Soa bastante injusto que as pessoas que receberam benefício tardiamente sejam prejudicadas por conta disso, já que não houve erro delas”, informa o defensor nacional de Direitos Humanos, Atanasio Darcy Lucero Júnior. “Parece haver uma tendência muito grande de judicializar para garantir que haja o pagamento de todas as parcelas”, conclui.

Auxílio até dezembro

O presidente Jair Bolsonaro anunciou a prorrogação do auxílio emergencial por quatro meses no valor de R$ 300. A extensão do auxílio foi oficializada por meio de medida provisória e terá que ser aprovada por deputados e senadores no Congresso Nacional.  

“Não é um valor o suficiente muitas vezes para todas as necessidades, mas basicamente atende. O valor definido agora há pouco é um pouco superior a 50% do valor do Bolsa Família. Então, decidimos aqui, até atendendo a economia em cima da responsabilidade fiscal, fixá-lo em R$ 300”, disse Bolsonaro. 

Neste ano, o Executivo depositou cinco parcelas de R$ 600 para os beneficiários do auxílio, visando ajudar os brasileiros de baixa renda, trabalhadores informais, MEIs, autônomos e desempregados.   

O presidente Jair Bolsonaro já havia informado sobre a redução do valor do benefício e argumenta que, se o valo pode parecer pouco para os brasileiros afetados pela pandemia, “é muito para quem paga, no caso, o Brasil”.  

De acordo com cálculos feitos pela equipe econômica, o custo mensal do benefício foi de R$ 50 bilhões por mês durante a primeira fase do programa. 

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
7 Comentários
  1. Zilda Aparecida Gonçalves Diz

    Meu auxílio foi cortado porque tou sem emprego ..

  2. Valter Diz

    Não recebi minha parcela do auxílio emergencial de R$300 hoje e era para receber hoje dia 15/11/2020 sou autônomo e não possui renda fixação

    E agora?
    Como fica?

  3. RIQUE LIRA ROCHA Diz

    Me diga o que e 300.00 não dar para nada. E os impostos cada vez mais caro e como se tivesse dando e ao mesmo tempo tomando de volta. E uma vergonha este Brasil.

  4. VALÉRIA Diz

    Realmente, está cada vez mais difícil o
    Mundo está acabando é às pessoas não esta percebendo .

  5. Vera lucia Diz

    300 reais é o que eles dão de cachinha pra se aparecer nos lugares granfos, uma corja achando que pagando 300 reais vai gerar um déficit pro pais o que gera déficit sao os salários exorbitantes que recebem deputados senadores e todos la na cidade que nao sabe o que e viver com pouco muito pouco!

  6. M. S S O. Diz

    Não tem dinheiro para ajudar a quem mais precisa, nesse momento tão difícil para muitos.
    Uma pergunta? De onde está saindo esse dinheiro para tanta roubalheira. A cada dia fico mais indignada com esses políticos*

  7. Miriam de moura Diz

    Não tem vergonha , eu tenho vergonha de ser brasileira um auxílio trezentos reais acha e o dinheiro dos lanche diário dos filhos deles
    Ainda corta pra quem mas precisa não tem mas o que comenta por um homem no poder

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.