Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

As cidades-Estado: definição e características

As cidades-Estado: aquilo que vai cair na sua prova

O termo “cidade-Estado” se refere às comunidades que possuem certa autonomia para criar as próprias leis e controlar a própria economia.

O assunto é cobrado com uma grande frequência em questões de história geral, especialmente em relação à Grécia Antiga.

Assim, o artigo de hoje trouxe um resumo com as principais características desse tipo de organização e as suas diversas ocorrências na história.

As cidades-Estado: Introdução

As cidades-Estado são organizações independentes e autônomas, que possuem um governo e leis próprias, constituindo um Estado. As mais conhecidas foram aquelas que fizeram parte da Grécia antiga, como Tebas, Atenas (cidade-Estado conhecida como pólis),  Esparta e Tróia. 

As cidades-Estado: Características

Entre as principais características desse tipo de organização, podemos destacar total independência e completa autonomia política e econômica. 

As cidades-Estado surgiram na Mesopotâmia, nos primórdios da civilização humana, ou seja, entre 5000 a.C. e 2500 a.C.. No mundo antigo ocidental, os primeiros exemplos surgem por volta do século VIII a.C. e atingem o seu auge durante o século V a.C., com o grande exemplo da cidade-Estado de Atenas.

Porém, devemos destacar que existe uma grande diferença entre regiões autônomas e cidade-Estado: essas últimas possuem total autonomia sobre seus territórios, possuem legislação própria, com plenos direitos e poderes para governarem a si mesmas e a todos os seus cidadãos, sem que haja qualquer interferência de governos externos. As regiões autônomas possuem certo grau de autonomia, mas fazem parte de uma outra nação, estando sujeitas à algumas legislações desse Estado.

As cidades-Estado: Exemplos modernos

Ainda que sejam muito diferentes das cidades-Estados antigas, existem alguns exemplos dessas organizações nos dias de hoje. Vamos descobrir quais são eles: 

Mônaco: ainda que esteja localizada em território francês, Mônaco não se submete às leis do país. Sua administração é totalmente independente, repleta de cassinos, tem uma clientela de turistas do mais alto nível e recebe a corrida de Fórmula Um uma vez por ano. Seu regime de governo é monárquico, com o príncipe Alberto II como seu dirigente.

Cingapura: é uma cidade insular, com 270 quilômetros quadrados, em que vivem aproximadamente 5,3 milhões de pessoas, tornando esta cidade-Estado o segundo país mais densamente povoado do planeta. Adota a democracia representativa como sua forma de governo e possui uma moeda própria, o dólar de Cingapura. 

Vaticano: o seu nome oficial é Estado da Cidade do Vaticano e é comandada pela igreja católica. Essa cidade fica dentro da cidade de Roma e é a sede da igreja católica, em que o papa exerce o papel legislativo, judicial e executivo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.