Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Ameaças à biodiversidade: Entenda quais são e estude-as

Conheça os perigos iminentes aos ecossistemas

Mesmo com políticas de proteção ao meio ambiente em vigor, as ameaças ainda persistem e contribuem para a perda de biodiversidade. O Brasil é um país constantemente ameaçado diante da falta de fiscalização das leis existentes.

Esse tema pode cair em provas diversas. Fique por dentro!

Perda de habitat

A perda de habitat é considerada a principal causa dos declínios modernos da biodiversidade global.

Ao limpar florestas e construir estradas, as atividades humanas destroem o que poderia ser um habitat vital para uma variedade de espécies, prejudicando a diversidade do ecossistema.

Essas mudanças na paisagem também podem gerar barreiras entre habitats previamente conectados, danificando gravemente a diversidade do ecossistema.

Além de restaurar o habitat, esforços estão em andamento para criar corredores de vida selvagem que reconectem os habitats isolados pelo desenvolvimento humano moderno .

Espécies invasivas

Tanto intencionalmente quanto acidentalmente, os humanos introduziram espécies em novos habitats ao redor do mundo.

Enquanto muitas espécies introduzidas passam despercebidas, algumas tornam-se muito bem-sucedidas em seus novos lares, com consequências para a biodiversidade de todo o ecossistema.

Dados os impactos da mudança do ecossistema, as espécies introduzidas que dominam seus novos habitats são conhecidas como espécies invasoras.

Por exemplo, no Caribe, o peixe-leão foi introduzido acidentalmente na década de 1980. Em seu habitat nativo no Pacífico, as populações de peixes-leão são reguladas por predadores, evitando que o peixe-leão consuma em excesso peixes menores em um recife.

No entanto, no Caribe, o peixe-leão não tem predadores naturais. Como resultado, o peixe-leão está assumindo ecossistemas de recifes e ameaçando as espécies nativas com a extinção .

Dada a capacidade de espécies não nativas de danificar a biodiversidade e causar a extinção de espécies nativas, existem regulamentos para reduzir a chance de introdução acidental de novas espécies.

Em ambientes marinhos, regular a água de lastro dos navios pode ser essencial para conter invasões marinhas. Os navios adquirem água de lastro antes de saírem de um porto, transportando a água e qualquer espécie dentro dela para o próximo destino do navio.

Para evitar que espécies dentro da água assumam na próxima parada do navio, os regulamentos exigem que os navios liberem sua água de lastro a milhas da costa, onde o ambiente difere muito de onde a água veio originalmente, tornando improvável que qualquer vida dentro da água seja capaz de sobreviver.

E então, gostou de conhecer o tema?

Não deixe de ler também – 5 filmes sobre meio ambiente para ampliar o repertório sociocultural

Leia Também:

Está "bombando" na Internet:

Acesse www.pensarcursos.com.br
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.