Alemanha restringe entrada de estudantes estrangeiros no país

O governo da Alemanha divulgou que haverá restrições à entrada de estudantes estrangeiros daqui para a frente.

Segundo o anúncio oficial feito pela ministra alemã da Educação, Anja Karliczek, alunos de entidades alemãs matriculados em cursos a distância ou que as aulas atualmente estão sendo aplicadas remotamente não poderão tirar o visto.

Lembrando que mais de 80 mil estudantes estrangeiros deixaram a Alemanha no mês de abril. Afinal, houve fechamento das universidades por conta das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus.

Esperava-se, no entanto, que, com a chegada do verão, os alunos pudessem retornar à Alemanha para continuar sua estadia acadêmica. Apesar de ter flexibilizado a questão das universidades, ocorreram mudanças quanto ao visto de estudante.

A saber, aqueles que não fazem parte da União Europeia precisam de um “certificado de presença” da universidade alemã em questão. Mas, assim como tem acontecido em muitos países, as instituições de ensino migraram muitos cursos para o ensino remoto.

“Os estudantes estrangeiros que puderem comprovar que não há como fazer o curso inteiramente no exterior, podem entrar no país”, afirma a ministra da Educação da Alemanha, Anja Karliczek.

E então ela explica a modificação no visto. “Mas não será permitida a entrada de alunos de cursos com aulas exclusivamente remotas ou de ensino à distância”, disse.

As aulas do semestre de inverno na Alemanha se iniciam em outubro.

Estudantes brasileiros nos EUA

A proposta alemã se assemelha ao plano do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de proibir a emissão de vistos para estudantes estrangeiros. Do mesmo modo que na Alemanha, alunos que fariam cursos nos EUA com aulas remotas não receberiam o visto.

A notícia causou indignação social e a medida não foi para a frente, com anúncio no mês de julho de sua abolição.

À época, quando Donald Trump revogou tal decisão, a ministra da Educação da Alemanha comemorou. “A educação e a pesquisa sobrevivem graças ao intercâmbio, principalmente internacional. Isso também vale em tempos de pandemia”, disse Karliczek.

Críticos acusam agora a ministra de negar a oportunidade de intercâmbio na Alemanha a estudantes estrangeiros.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.