Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

5 jogos para aprender história 

Professores do mundo todo têm indicado aos alunos jogos de videogame para eles aprenderem história. 

A tarefa pode ser a missão dos sonhos para muitos estudantes. E para os educadores os jogos podem ser cruciais para a “criação de conhecimento público do passado” e pertencer à sala de aula.

Para o historiador Andrew Denning, a sofisticação dos games baseados em história, assim como o número de estudantes que crescem jogando videogame, está reduzindo a desconfiança nas universidades em relação à atividade. 

Para se ter uma ideia, na Universidade do Tennessee o jogo “Red Dead Redemption” é explorado para estudar a América da virada do século. 

Para Denning, o nível de detalhe transmitido por um jogo: “supera em muito o de uma monografia histórica”.

Algumas empresas de jogos estão agora se esforçando para obter o máximo de precisão, até contratando consultores historiadores. 

“A nova edição do Oregon Trail se refere a estudiosos da América nativa”, diz Denning. Veja abaixo cinco jogos que podem entrar em um programa de estudos para aprender história.

Assassin’s Creed

Esta série de ação e aventura – ambientada em várias épocas, da Grécia Antiga à Londres do século 19 – apresenta aos jogadores cenários históricos e até ficção científica, mas é quase incomparável em sua construção de mundos. 

Os jogadores exploram representações ricas da arquitetura como se estivessem caminhando por locais históricos do mundo real; o modo de descoberta oferece passeios com curadoria de historiadores e arqueólogos.

Attentat 1942

Este jogo explicitamente educacional descreve terras tchecas sob a ocupação nazista. Animações do passado e conversas com atores no presente enriquecem a experiência da narrativa, à medida que os jogadores pedem aos personagens mais velhos para recontar memórias de tempos de guerra. 

Este estilo de contar histórias revela como as histórias pessoais e coletivas estão entrelaçadas em qualquer conflito histórico.

Crusader Kings

Neste jogo de grande estratégia, os jogadores governam uma dinastia medieval por meio de escolhas táticas – forjando alianças, arranjando casamentos e experimentando uma história contrafactual (e se Gales tivesse colonizado a Inglaterra em vez de vice-versa?). 

Ao imaginar um resultado diferente, esses cenários podem nos ajudar a entender melhor o que aconteceu no passado, considerando o que não aconteceu.

1979 Revolution – Black Friday

Usando técnicas de documentário para explorar a Revolução Iraniana, este jogo oferece aos jogadores escolhas que evocam as ambigüidades morais dessa revolução. 

Os jogadores encontram a história por meio de fotografias de arquivo e imagens de vídeo, adicionando realismo à experiência de jogo. O jogo também reconhece o golpe de 1953 patrocinado pelos britânicos e pelos Estados Unidos, um episódio muitas vezes ausente nos relatos ocidentais da revolução.

Brothers in Arms

Um jogo de tiro em primeira ou terceira pessoa, muitas vezes visto como uma diversão crassa, também pode oferecer representações cinematográficas de drama histórico. 

Este apresenta aos jogadores desafios táticos da Segunda Guerra Mundial, como manobrar a infantaria para flanquear e suprimir unidades inimigas. 

Embora as lições do jogo sobre o combate de período sejam relativamente básicas, elas mostram o potencial de estilos imersivos de aprendizagem por meio da reconstituição.

E então, gostou da matéria? Não deixe de ler também – Pós Segunda Guerra: Entenda o Plano Marshall

Avalie o Texto.

Está "bombando" na Internet:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.