Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Mulher é presa recebendo gabarito de concurso por celular!

Aparelho foi encontrado no sutiã dela; mulher fazia prova em Montes Claros.
Suspeito de passar gabarito para ela também foi preso.

Uma mulher de 31 anos foi presa tentando fraudar o concurso público da Prefeitura de Montes Claros (MG), realizado neste domingo (10). Segundo a Polícia Militar, Elizângela Patrícia Andrade Moreira estava recebendo o gabarito através de um celular, que estava escondido no sutiã dela.

A PM recebeu denúncias informando sobre a tentativa de fraude e a mulher passou a ser monitorada pelo Serviço de Inteligência da polícia. Durante a prova, ela foi retirada da sala pelos fiscais e o aparelho foi encontrado.

Já na delegacia, Elizângela Moreira apontou quem seria o homem que estava mandando as respostas e ainda disse que pagou R$ 4 mil pelo gabarito. A mulher foi autuada por tentativa de fraude, mas pagou fiança de R$ 2.640 e foi liberada.

Buscas pelo suspeito
Depois das informações fornecidas pela mulher, os policiais militares fizeram contato com a juíza de plantão, que determinou o cumprimento do mandado de busca e apreensão na casa do suspeito, de 36 anos, no Bairro Veneza Parque. Vários aparelhos de telefone foram encontrados na residência. Outra ordem judicial foi expedida para a casa dos pais dele, e um cofre trancado foi apreendido no local.

O suspeito não foi encontrado durante o cumprimento dos mandados, ele foi detido nesta segunda-feira (11) quando estava indo para o curso de formação de guardas-municipais, que teve início na sexta-feira (8). Ele foi aprovado no último concurso, realizado em 2015.

De acordo com as informações da PM, o homem preso é irmão de um capitão, que também foi detido suspeito de fraudar o concurso da Corporação em 28 de março de 2013. O Processo Administrativo Disciplinar foi concluído e remetido para a Justiça Militar.

A PM também informou que o suspeito chegou a fazer o curso de formação para ingressar na instituição entre 2002 e 2004, mas foi descoberto que os diplomas apresentados por ele não tinham vínculo com as instituições mencionadas nos documentos. Em 2006, ele tentou ingressar na polícia novamente, mas foi automaticamente excluído por não ter justificado as informações da primeira exclusão.

Futuro do concurso
A Prefeitura informou que o concurso não será cancelado, que a candidata foi desclassificada e, caso haja outras pessoas envolvidas em fraudes, o mesmo será feito com elas.

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

Comentários estão fechados.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?