Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Golpistas usam pandemia de coronavírus para aplicar golpes na internet

Criminosos enganam as vítimas e roubam dados dos usuários: Especialistas alertam para a prática em período de crise.

Não é novidade que indivíduos mal intencionados aproveitam qualquer oportunidade para dar golpes, aplicar fraudes e roubar. Com a pandemia do coronavírus, não foi diferente.

Golpistas estão espalhando vírus em celulares e computadores para extrair dados de usuários e até mesmo extorquir dinheiro de vítimas, fingindo ser uma ajuda do governo.

Em algumas versões do golpe, as pessoas são persuadidas a informar o número do seu castão de crédito para realizar um exame que supostamente detectaria o coronavírus. Em outra versão do golpe, vítimas teriam que clicar num mapa falso da doença pelo mundo, mas quem clica, pode ter o celular bloqueado, vírus aplicados e informações roubadas.

Os aplicativos e links simulam informações da Organização Mundial da Saúde. De acordo com o especialista em crimes virtuais, Ronaldo Prass, os golpistas pedem dinheiro para liberar o aparelho.

“Quando o usuário baixa o aplicativo, precisa liberar algumas permissões para que funcione. Na verdade, elas farão com que o aplicativo criptografe a memória do celular. Ou seja, vai embaralhar digitalmente, e os criminosos vão usar esses dados para obter dinheiro para liberar essas informações”, ele explica.

“Além disso, os golpista ameaçam liberar essas informações na internet, o que pode ser um grande problema”, acrescenta.

As mentiras mais comuns exploram a crise econômica advinda da pandemia de coronavírus. Elas fazem uso da ajuda anunciada pelo governo, de R$ 200 por autônomo, para espalhar mensagens sugerindo que os trabalhadores cliquem em um link para se cadastrar.

Ainda existe um outro golpe em que uma fábrica de bebidas supostamente distribuiria álcool gel para a população. Ao clicar nas palavras “continue lendo”, em vez de ir para a continuação da mensagem, a vítima é direcionada para um site que pode roubar informações pessoais. É um link falso.

Vale muitíssimo a pena não clicar em nenhum link divulgado pelas redes sociais (whatsapp, facebook, etc) e não compartilhar notícias e mensagens por meio deles. O recomendado e inteligente a fazer é compartilhar e ler somente notícias seguras, de blogs, sites e canais de notícias oficiais e confiáveis.

Coronavírus

O Ministério da Saúde divulgou na tarde desta quarta-feira, 25 de março, a informação de que o Brasil tem 2.433 casos confirmados de novo coronavírus. São, ao todo, 57 mortes, o que significa uma taxa de mortalidade de 2,4%.

Na última terça-feira, 24 de março, o balanço do Ministério apontou 2.201 casos confirmados e 46 mortes confirmadas. O ministro Luiz Henrique Mandetta avalia que o aumento dos casos está ocorrendo de forma “aproximadamente igual nos últimos dias”.

O chefe da pasta fez uma análise de como os casos estão espalhados pelo Brasil. Ele afirmou que “chama a atenção” o Acre, que tem 23 casos e uma população pequena.

Segundo ele, como será ampliada nas próximas semanas a aplicação dos testes, a taxa de letalidade vai diminuir no Brasil.

Ministério da Saúde confirmou que vai ampliar para 22,9 milhões o número de testes que serão distribuídos para diagnosticar a Covid-19.

Veja também: INSS suspende aposentadoria de idosos flagrados circulando pela rua? Fato ou mentira?

Leia Também:

top planilha

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.