Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Concurso Diplomata: após irregularidades, provas serão recorrigidas

As provas escritas do concurso Diplomata 2019 serão recorrigidas por uma nova banca avaliadora


As provas escritas do concurso Diplomata 2019 serão recorrigidas por uma nova banca avaliadora, conforme comunicado feito pela banca organizadora, o Instituto Americano de Desenvolvimento (IADES), nesta terça-feira, 26 de novembro. O resultado preliminar da segunda etapa, publicado no dia 06 de novembro, não tem mais validade.

De acordo com a organização do concurso, foram encontradas algumas irregularidades na etapa. O número de inscrição dos candidatos na etapa, por exemplo, figurou nas folhas de respostas das provas escritas, o que contraria ao item do edital sobre impessoalidade. Os exames não poderiam ser identificados para efeito de correção.

A medida tem como objetivo impedir que concorrentes sejam favorecidos pela banca na hora da correção da avaliação. Por isso, a banca optou por corrigir novamente as provas, com uma nova banca avaliadora. A data de publicação do resultado provisório da segunda fase do concurso será publicada no Diário Oficial da União, oportunamente.

Sendo assim, as provas escritas não serão reaplicadas, mas passarão por uma nova correção. A segunda etapa do concurso Diplomata foi aplicada em outubro. No dia 12, os inscritos tiveram que elaborar uma redação de tema geral e responder a dois exercícios de interpretação, análise ou comentário de texto.

Esta é a primeira vez, em 25 anos, que o concurso Diplomata não é organizado pelo Cebraspe. Durante o período os certames transcorreram sem irregularidades.

O concurso Diplomata

Para concorrer ao cargo de Diplomata, o candidato deverá apresentar diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior, emitido por instituição de ensino credenciada pelo Ministério da Educação (MEC). No caso de a graduação ter sido realizada em instituição estrangeira, caberá exclusivamente ao candidato a responsabilidade de apresentar, até a data da posse, a revalidação do diploma exigida pelo MEC, nos termos do art. 48 da lei nº 9.394/1996. O salário inicial será de R$ 19.199,06.

Segundo o documento publicado no Diário Oficial da União, edição do dia 08 de julho, serão oferecidas nada menos que 20 vagas para o cargo.

Cargo

Ampla concorrência

Candidatos negros

Pessoas com deficiência

Total

Terceiro-secretário da carreira de diplomata

15

4

1

20

Sobre

O CACD é o processo seletivo para ingresso na carreira de diplomata. Desde 1996, vem sendo realizado com a regularidade de pelo menos uma vez por ano. Sucede o exame vestibular para admissão no Curso de Preparação à Carreira de Diplomata (CPCD), o qual vigorou até 1995. Desde a edição de 2002, o CACD é realizado com a colaboração do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CEBRASPE/UnB). Trata-se de concurso de abrangência verdadeiramente nacional, pois todas as fases são aplicadas em todas as capitais estaduais e no Distrito Federal.

A aprovação no CACD habilita o candidato a ingressar no cargo de terceiro secretário da carreira de diplomata de acordo com a ordem de classificação obtida e a matricular-se no Curso de Formação do Instituto Rio Branco.

Leia Também:

top planilha

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.