Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

Governo libera 20 bilhões de reais para vacinação

Governo Bolsonaro libera verba para vacinação.
Indígenas fazem parte do grupo prioritário para receber vacinação contra a Covid-19 (Imagem: Alex Pazuello/Prefeitura de Manaus)

O presidente Jair Bolsonaro acaba de publicar a Medida Provisória (MP) que autoriza crédito de 20 bilhões de reais para vacinação em massa. O recurso, que será disponibilizado ao Ministério da Saúde, visa imunizar um grupo de até 49,6 milhões de pessoas nas primeiras fases do Plano Nacional de Vacinação.

Ontem (16), o presidente da República e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciaram como será feita a vacinação contra a Covid-19 e divulgaram a expectativa de chegar a obter 300 milhões de doses.

Apesar de o Plano não incluir uma data exata para o início das imunizações, Pazuello disse que a primeira fase pode começar já em fevereiro.

Sobre isso, Bolsonaro explicou que não vai tomar a vacina contra o Coronavírus e que as pessoas devem ser respeitadas caso decidam pelo mesmo.

O presidente afirmou nesta semana que pode chegar a publicar nova MP para incluir um termo de responsabilidade a ser assinado por quem se dispor a tomar a vacina. Segundo ele, o termo isentaria o governo federal de quaisquer danos decorrentes de efeitos colaterais dos imunizantes.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por outro lado, já publicou as regras para o pedido de registro da vacinas. O alvará poderá sair em até 10 dias nos moldes do pedido emergencial

O que está disponível para a vacinação

Ao anunciar o plano nacional de imunização contra a doença, nessa quarta-feira (16), o governo federal informou que prevê o início da vacinação para fevereiro e que pretende usar todas as vacinas com uso emergencial aprovado ou registro definitivo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), incluindo a CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan.

Entre outras vacinas citadas pelo plano estão a vacina de Oxford, a Pfizer BioNTech, a Bharat Biotech, a Moderna e a Janssen, além das que serão disponibilizadas por meio do consórcio da Covax Facility, da OMS (Organização Mundial da Saúde). Essas informações são da Agência Brasil.

Grupos prioritários para o governo

Os grupos que devem tomar as primeiras doses da vacina contra a Covid-19 são:

  • trabalhadores da área de Saúde;
  • idosos (acima de 60 anos);
  • indígenas;
  • pessoas com comorbidades;
  • professores (do nível básico ao superior);
  • profissionais de forças de segurança e salvamento;
  • funcionários do sistema prisional;
  • comunidades tradicionais ribeirinhas;
  • quilombolas;
  • trabalhadores do transporte coletivo;
  • pessoas em situação de rua; e a
  • população privada de liberdade

Fonte: Plano Nacional de Vacinação

Avalie o Texto.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.