Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Teoricamente: A teoria nas organizações é menos importante do que a prática? – Parte 1

Vamos falar sobre as teorias das organizações e como elas influenciam a rotina dos negócios.

Dividimos a série “Teoricamente” em três partes para falarmos sobre o impacto das teorias nas empresas, através da Teoria das Organizações.

Nesta primeira parte falaremos sobre a teoria, prática e postura da empresa.

Vamos entender o que a teoria das organizações tem a ver com a prática da gestão na rotina das empresas.

A teoria é diferente da prática, não seria essa outra teoria?

Sempre que pensamos em teorias, logo relacionamos a algo que diz uma coisa diferente do praticado, entretanto, as teorias possuem muita relevância quanto a sua rotina dentro de uma empresa.

Muitas empresas são administradas sem um embasamento, o que faz com que a rotina fique contraproducente.

Uma vez que muitos empreendedores ou até mesmo gestores em empresas de maior porte, conduzem a rotina de acordo com o que aparece à sua frente.

Esse tipo de gestão é ineficiente, visto que não há ferramentas adequadas ou modelos comparativos.

Postura inadequada nas empresas

Diante desse tipo de cenário as atitudes mudam a cada momento, a postura não é mantida, ora é rígida, ora é complacente de forma excessiva.

Diante disso, a cultura da empresa fica comprometida, assim como a clareza quanto as atividades e processos.

Essas empresas costumam ter uma postura defensiva quanto à flexibilidade na gestão, defendendo a “administração dia a dia”. Entretanto, talvez seja essa a teoria que não funciona na prática.

Na próxima parte dessa série falaremos sobre cultura organizacional e estratégias.

Leia Também:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?