Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Terceiro lote de restituição do Imposto de Renda é pago nesta sexta (31)

Consultas sobre o 3º lote podem ser feitas pelo site, app ou telefone

Nesta sexta-feira, 31 de julho, a Receita Federal paga o terceiro lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoa Física 2020. No total, 3,9 milhões de contribuintes receberão R$ 5,7 bilhões. O IRPF 2020 é relativo ao ano de 2019.

Há três formas de fazer consulta sobre a restituição: no site da Receita, no aplicativo, disponível para Android e iOS, e pelo telefone 146.

O terceiro lote também contempla contribuintes com prioridade legal. São eles 88.420 idosos acima dos 80 anos, 646.111 brasileiros entre 60 e 79 anos, 47.170 contribuintes com alguma deficiência e 346.793 contribuintes cuja maior fonte de renda é o magistério. Ao todo, os contribuintes com prioridade legal recebem R$ 2,05 bilhões.

Como saber se caiu na malha fina?

Para verificar se caiu na malha fina, é necessário entrar no e-CAC e acompanhar o processamento no portal. É necessário ter código de acesso e senha para entrar no portal; ela pode ser gerada rapidamente e online.

Após fazer login, clique em “Meu Imposto de Renda. Na nova janela aberta, clique em “Processamento” e, em seguida, em “Extrato do Processamento”. Escolha o ano que deseja verificar. Nesse menu, há a opção “Pendências de malha”, para verificar se a última ou anteriores declarações caíram na malha fina.

Na opção “Extrato do processamento”, é possível verificar os valores declarados, imposto pago, devido e se há imposto a pagar ou restituição. Acima dos valores, é informado se a declaração é original ou retificada, tipo de tributação e a situação da declaração.

No item “situação da declaração”, é necessário atenção para a mensagem mostrada. No caso de “processada” ou “em fila de restituição”, não há problemas com a declaração. No caso de “em processamento”, é necessário continuar acompanhando e entrando no portal com frequência.

No caso de “com pendências”, há problemas a serem resolvidos. Se as pendências não forem resolvidas, o contribuinte cai na malha fina e deve ser intimado pela Receita Federal para se explicar. Ao cair na malha fina, não é mais possível fazer retificação e ainda pode haver cobrança de multa.

Leia Também:

brasil 123  

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?