Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Governo está próximo de liberar mais duas parcelas do auxílio, agora com valor de R$300

O presidente tem a a intenção de pagar mais R$ 600 aos beneficiários, com o valor sendo dividido em duas parcelas de R$ 300.

O auxílio emergencial foi criado para pagar R$ 600 em três parcelas para trabalhadores informais. Nos últimos dias, foi cogitado que o benefício poderia ser prorrogado. Porém a prorrogação aconteceria com parcelas menores que R$ 600.

O presidente tem a a intenção de pagar mais R$ 600 aos beneficiários, com o valor sendo dividido em duas parcelas de R$ 300. A informação foi dada pelo G1, através de fontes ouvidas pelo portal.

Em conversas sobre a prorrogação, a equipe econômica do governo também cogita dividir o pagamento extra de R$ 600 em três parcelas, cada uma de R$ 200. A fonte ouvida pelo G1 afirmou que o presidente Bolsonaro achou R$ 200 um valor baixo. Por isso, teria decidido transformar a prorrogação em duas parcelas maiores.

O benefício foi criado para auxiliar os trabalhadores autônomos, informais e microempreendedores individuais (MEIs) durante a crise causada pela pandemia do novo coronavírus. Desempregados também têm direito ao benefício, desde que não estejam recebendo seguro-desemprego. Mães chefes de família recebem R$ 1.200.

Se confirmada, a proposta deverá passar pelo Congresso Nacional. Antes do auxílio emergencial entrar em vigor, a primeira ideia chegou ao Congresso com valor de R$ 200 em três parcelas. O Congresso encontrou em acordo com o governo e aumentou o valor para R$ 600 em três parcelas.

Nos últimos dias, várias fraudes do auxílio de R$ 600 foram expostas. O Tribunal de Contas da União (TCU), por exemplo, afirmou que mais de 8 milhões de brasileiros receberam o benefício indevidamente. Ainda há 11 milhões de brasileiros com o tema em análise.

Saiba quem pode receber o auxílio emergencial

O projeto altera uma lei de 1993, que trata da organização da assistência social no país. De acordo com o texto, durante o período de três meses será concedido auxílio emergencial de R$ 600 ao trabalhador que cumpra, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • seja maior de 18 anos;
  • não tenha emprego formal;
  • não seja titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, ressalvado o bolsa-família;
  • a renda mensal per capita seja de até meio salário mínimos ou a renda familiar mensal total seja de até três salários mínimos;
  • que não tenha recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70.

O auxílio vai ser cortado caso aconteça o descumprimento dos requisitos acima. O texto também deixa claro que o trabalhador deve exercer atividade na condição de:

  • microempreendedor individual (MEI); ou
  • contribuinte individual do Regime Geral de Previdência Social que trabalhe por conta própria; ou
  • trabalhador informal, seja empregado ou autônomo, inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), até 20 de março de 2020, ou que se encaixe nos critérios de renda familiar mensal mencionados acima.

A proposta estabelece que apenas duas pessoas da mesma família poderão receber cumulativamente o auxílio emergencial e o benefício do Bolsa Família, podendo ser substituído temporariamente o benefício do Bolsa Família pelo auxílio emergencial, caso o valor da ajuda seja mais vantajosa para o beneficiário. A trabalhadora informa, chefe de família, vai receber R$ 1.200.

Veja também: INSS já iniciou PAGAMENTOS do auxílio de R$600 para ESTES cidadãos

Leia Também:

brasil 123  
9 Comentários
  1. Edson Diz

    Começou a roubalheira com essas divisões vai ter muitos desvio

  2. Antônio Diz

    Boa tarde me chamo Antônio Sérgio tavessia audino beneficiario do bolsa família sou de Gravataí RS tenho três filhas menores autônomo do grupo de risco com hepatite C ,esperei em abril pelo auxílio emergencial nao veio ,alegação da Dataprev de eu era agente público, corri atrás de certidões na receita Federal, Câmara Municipal de Gravataí para provar que atendia todas as exigências fiz contato com o n° 08007072003 onde relatei tudo estes fatos recebi um n° de protocolo que vai completar 30 dias já, entao veio a 2° parcela do bolsa e o valor continuou os mesmos R$123,00 ,ontem liguei para o 0800 da Dataprev e para minha surpresa na segunda análise não fui selecionado porque meus dados contam como se eu estivesse DETENTO ,tirei as certidões criminais estadual e federal e nada consta liguei novamente então me forneceram outro n° de protocolo já está Chegando a 3° parcela e eu ainda não fui selecionado meu email [email protected] meu cel 51995241831

  3. Maciel Diz

    E para o bolsa familia como vai ficar

    1. Mario Diz

      Calma, os mais favorecidos financeiramente, estão recebendo e em dia.

  4. Maciele santos Diz

    É para quem recebe bolsa família vai mudar alguma coisa

  5. Thiago Loami Diz

    Isso é uma Vergonha quem vive com 300 reais no mês? enquanto tem Funcionário público ganhando 5 6 mil reais Enquanto tem Governador ganhando 80 mil no mês Os Governantes do nosso país são os piores já visto nós últimos 20 anos

  6. Mauro Meneguzzi Diz

    Si já foi aprovado os seiscentos reais do auxílio emergencial isso na minha opinião não pode mexer pra metade do auxílio emergencial de seisentos reais pra trezentos reais

  7. Ivone Aparecida Costa Diz

    Nem recebi a primeira estou em análises pela terceira vez só recebe as pessoas que não precisa quem precisa morre de fome e continua em análise

    1. Mario Diz

      Ivone, isto é uma grande verdade, presenciei com várias pessoas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?