Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Bolsonaro quer unificar Bolsa-Família, seguro-defes, salário-família e abono

A finalidade é usar os recursos dos quatro programas para criar uma marca social para o presidente Jair Bolsonaro.

Uma das propostas estudadas pelo Ministério da Economia para criar o programa Renda Brasil é unificar o Bolsa Família, o seguro-defeso, salário-família e o abono salarial.

O objetivo do governo é usar os recursos dos quatro programas para criar uma marca social para o presidente Jair Bolsonaro, já que Bolsa Família é uma herança do Partido dos Trabalhadores.

O ministro Paulo Guedes (Economia), vem afirmando que a unificação desses programas garantiria recursos para que mais pessoas em situação de baixa renda recebam ajuda financeira do governo.

O abono salarial é pago anualmente a trabalhadores formais que recebem até dois salários mínimos. O seguro-defeso é destinado aos pescadores no período em que a pesca é proibida. E o salário-família é pago para trabalhadores de baixa renda que têm filhos de até 14 anos ou filhos com deficiência. Já o Bolsa Família é pago a pessoas em situação de pobreza e extrema pobreza. Segundo a Caixa, mais de 13,9 milhões de famílias recebem o benefício.

Sem contar com o orçamento do Bolsa Família, estimado em R$ 29,5 bilhões neste ano, a unificação dos outros três programas iriam garantir R$ 25 bilhões extras em recursos para o Renda Brasil.

Fim das deduções do Imposto de Renda

Além de unificar os programas, o governo também quer cancelar os benefícios tributários para aumentar o caixa do Renda Brasil e garantir outros R$ 18 bilhões. Para isso, seria necessário o fim da desoneração de parte dos produtos da cesta básica, com potencial de arrecadação de R$ 4 bilhões.

Também estão na mira de corte do governo as deduções de IR com despesas médicas, com dependentes e alimentandos, que garantiriam outros R$ 4 bilhões.

Tributação de fundos exclusivos

Outra medida em estudo para custear o novo programa é a tributação de fundos exclusivos. Os fundos são utilizados por famílias ricas para fazer investimentos de longo prazo e concentrar toda a carteira de ações e de renda fixa em um único lugar.

Quanto deve ser o valor do Renda Brasil?

O novo programa social que está sendo preparado pelo Governo Federal para substituir o Bolsa Família, o chamado Renda Brasil, tem previsão de pagar de R$250 a R$300 mensais aos brasileiros de baixa renda. A confirmação foi dada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em entrevista à Rádio Jovem Pan.

O programa Renda Brasil pretende unificar uma série de programas sociais em uma única política de renda básica. A previsão é que o novo benefício entre em vigor logo após o final do auxílio emergencial de R$600, possivelmente no mês de setembro.

O Governo do presidente Jair Bolsonaro deseja contemplar uma parte dos trabalhadores que estão recebendo o auxílio emergencial de R$600. Além disso, a ideia é aumentar o valor pago no Bolsa Família.

O aumento previsto, conforme indicado por Guedes. deve variar de R$ 50 a R$ 100. Hoje,  o valor médio pago no Bolsa Família é aproximadamente R$ 200. Espera-se que a base de beneficiários no novo programa deve ser ampliada em quase 10 milhões de pessoas.

Veja também: FGTS: Maia quer aprovar na terça-feira projeto que libera saque emergencial de R$ 1.045

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

2 Comentários
  1. Angelo bonfim Diz

    Concordo tira nossos direitos para sustentar vagabundos.

  2. Ubira Diz

    Vai tirar os direitos dos trabalhadores lá no inferno.. desgraçados.. Não ganha mais nem pra organizador de torcida organizada..

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?