Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Auxílio BEm: Confira quem pode RECEBER até R$ 1.813,03 do benefício

O novo auxílio vai contemplar os trabalhadores que realizaram acordos com as empresas para reduzir proporcionalmente a suas jornadas e salários

O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e Renda (BEm) segue em andamento. No entanto, você sabe qual trabalhador poderá receber o auxílio?

Conforme noticiado aqui no site, o novo auxílio do Benefício Emergencial vai contemplar os trabalhadores que realizaram acordos com as empresas para reduzir proporcionalmente a suas jornadas e salários ou que tiveram os seus contratos suspensos.

De acordo com o Governo, o auxílio para os trabalhadores vai ser pago entre R$ 261,25 e R$ 1.813,03. No entanto, vale lembrar que esse valor não pode ser depositado em conta-salário.

Ademais, caso o trabalhador tenha direito a benefícios como plano de saúde ou tíquete alimentação, eles devem ser mantidos durante a suspensão do contrato de trabalho.

Primeiramente, o trabalhador permanecerá empregado durante o tempo de vigência dos acordos e pelo mesmo tempo depois que o acordo acabar.

Por exemplo, um acordo de redução de jornada de 90 dias de duração deve garantir ao trabalhador a permanência no emprego por mais 90 dias após o fim do acordo. Caso o empregador não cumpra, ele terá que pagar todos os direitos do trabalhador, já previstos em lei, além de multas.

Veja também: Saiba quanto tempo falta para LIBERAÇÃO do FGTS emergencial de R$1.045

Sobre o auxílio BEm

O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda é um benefício financeiro destinado aos trabalhadores que apresentarem redução de jornada de trabalho e de salário ou suspensão temporária do contrato de trabalho em função da crise causada pela pandemia do Coronavírus – COVID 19.

O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda se destina ao trabalhador que, em função da crise causada pela pandemia do Coronavírus, se enquadre em uma das seguintes situações:

1. Redução da jornada de trabalho e do salário;

2. Suspensão temporária do contrato de trabalho.

O Benefício Emergencial abrange também empregados em regime de jornada parcial ou intermitentes, os empregados domésticos e os aprendizes. A redução da jornada e salário do empregado poderá ser de 25%, 50% ou 70%, com prazo máximo de 90 dias.

A suspensão dos contratos de trabalho tem prazo máximo de 60 dias. Este benefício será pago independentemente do cumprimento do período aquisitivo, do tempo de vínculo empregatício ou do número de salários recebidos.

O empregado deve informar ao seu empregador em qual conta bancária de sua titularidade deseja receber o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda.

Como receber o benefício emergencial?

Acesse Agora as Principais Notícias no Brasil e fique atualizado

O pagamento será realizado por crédito em conta poupança existente em nome do trabalhador ou em Conta Social Digital, aberta automaticamente pela CAIXA, quando:

  • não tiver sido informada conta no ato da adesão;
  • houver impedimento para o crédito na conta indicada;
  • houver erros nos dados da conta informada.

A movimentação da conta poupança social CAIXA poderá ser efetuada com o uso do aplicativo CAIXA Tem, disponível para download nas lojas Android e IOS. O benefício não poderá ser depositado em nome de terceiros.

Valor do benefício

O valor do Benefício Emergencial corresponde a um percentual do Seguro-Desemprego a que o trabalhador teria direito em caso de demissão, variando entre R$ 261,25 até R$ 1.813,03, conforme o percentual de redução acordado.

A suspensão de contrato de trabalho prevê o pagamento de 100% do valor do Seguro-Desemprego.

O trabalhador intermitente terá um Benefício Emergencial com valor fixo de R$ 600,00.

Veja também: Saque do FGTS vai ser facilitado em nova modalidade com valor de R$1.045

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

26 Comentários
  1. Eliane Abade Marques Santos Silva Diz

    Eu fui mandada embora por causa da pandemia quem da meu emprego de volta afinal pago aluguel

  2. Cristiano Martins Diz

    Bom dia também queria entender porque primeira parcela vem 1813,00 e na segunda venho 1600,00 que critério é esse do governo de mudar os valores.

  3. Webert de Almeida Silva Diz

    Sou fichado e estou afastado por motivo de doença eu tenho direito ao auxílio do bem minha carteira foi rebaixada

    1. Elisabete Akiko Sugawara Diz

      Meu contrato está suspenso há mais de 60 dias, o prazo será prorrogado???

      1. Izabel Diz

        Trabalho como intermitente será que terei direito a mais essas 2 parcela

  4. Adriano De Jesus Campos Diz

    Eu não recebi ainda a empresa mandou eu fica em casa eles deu entrada dia 8 desse mes

  5. Maridil Batista Diz

    Graças á Adeus o meu deu certo.

    1. Francirlei Diz

      E pra quem foi mandado embora durante a ipidemia

  6. Roberto Campos. Diz

    Sou aposentado más fiquei em casa por dois meses.
    Quero saber se tenho também o direito de receber afinal
    Recebi da minha empresa só 30 por cento e as minhas contas vou parcelar vai acabar ficando mais alto.
    Espero também ter este direito né 😄.

  7. Débora Soares Diz

    Silas graças a Deus, pelo menos a sua segunda parcela saiu… Enquanto isso tem milhares de pessoas que era contratos intermitentes, que só saiu 1 parcela dia 04/05 e até agora nao temos nenhuma notícia, se vamos ou não receber, não temos órgão nenhum que possa nos dar a resposta, cadê a segunda parcela dos intermitentes??… Niguem fica pra trás, só os intermitente!

    1. Angélica Diz

      Meu esposo e intermitente e recebeu a segunda parcela

      1. Andreia Diz

        Nesses dois meses que ficamos parados e recebemos com a carteira em suspensão estamos devendo horas para a empresa ?

  8. Anderson Pereira de Jesus Diz

    A minha segunda parcela não caiu também, e agora está informando que está suspensa e a empresa não informa se o governo vai pagar.
    Aí fica difícil pois sou gerente e meus funcionários precisam desse dinheiro para pagar aluguéis, água, luz, despesa de casa e outras dívidas.
    Um exemplo eu ganho muito bem e a única parcela até agora recebida veio o mínimo de R$1045,00 e era para ter vindo o teto máximo, deveria ter uma forma de nós acompanhar e informar mais prático não só a empresa ficar com tudo na mão.

  9. Rita de Cássia f vieira Diz

    Esse benefício deveria valer tbm para trabalhador autônomo que está com seu comércio fechado sem poder trabalhar somos contribuintes

  10. Silas ferreira fraga Diz

    O trabalhador quer saber o cronograma de pagamento era dia 01/05 a primeira saiu 04/05 a segunda saiu 05/06 a terceira tá marcada para o dia 29/06 no Pag anterior foi cupa da Dataprev vamos aguarda de quem será a cupa desta vez

    1. Débora Soares Diz

      Silas graças a Deus, pelo menos a sua segunda parcela saiu… Enquanto isso tem milhares de pessoas que era contratos intermitentes, que só saiu 1 parcela dia 04/05 e até agora nao temos nenhuma notícia, se vamos ou não receber, não temos órgão nenhum que possa nos dar a resposta, cadê a segunda parcela dos intermitentes??… Niguem fica pra trás, só os intermitente!

  11. Wells Diz

    Até hoje não saiu minha segunda parcela. Era para ter saído em 4 de Junho, e até agora NADA. Os canais de novo afirmação de nada servem!!

  12. FRANCISCO ALVES PEREIRA Diz

    Quero saber quando vai ser sancionado pelo presidente a prorrogação da mp936?????????

    1. Aleks Diz

      Auxilio emergencial de 600 não consegue pagar agora auxílio do bem pra até 1800 reais pra quem fez acordo com empresas tá de brincadeira né ,os cara teve salário reduzido e não perderam o emprego ….só no Brasil mesmo

    2. GRAZIELA APARECIDA Angelo Diz

      Me ajuda estou desempregada meu auxílio foi negado

    3. Helena Marques Diz

      Já recebi as duas por suspenção dia 25 05 e 24 06 agora quero saber a do mês de junho da que recebi foram referente ao me s de abril e maio

  13. José Geraldo Diz

    Acabou meu seguro desemprego, como me encaixo no seguro emergencial

    1. Anderson Pereira de Jesus Diz

      A minha segunda parcela não caiu também, e agora está informando que está suspensa e a empresa não informa se o governo vai pagar.
      Aí fica difícil pois sou gerente e meus funcionários precisam desse dinheiro para pagar aluguéis, água, luz, despesa de casa e nossas outras dívidas.
      Um exemplo eu ganho muito bem e a única parcela até agora recebida veio o mínimo de R$1045,00, deveria ter uma forma de nós acompanhar e informar mais prático não só a empresa ficar com tudo na mão.

    2. Claudete Pereira Diz

      Débora eu sou intermitente e recebi a 2

    3. Claudete Pereira Diz

      Entra na opção solicitar cadastro

      1. Cristiano Martins Diz

        Bom dia também queria entender porque primeira parcela vem 1813,00 e na segunda venho 1600,00 que critério é esse do governo de mudar os valores.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?