Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Ministério da Economia: comissão formada para segundo edital! Oferta de 39 vagas

O Ministério da Economia autorizou um novo edital para preenchimento de 39 vagas temporárias

Em agosto, o Ministério da Economia teve um novo edital de processo seletivo autorizado. De acordo com o documento, divulgado no Diário Oficial da União, o certame será para o preenchimento de 39 vagas temporárias.

Na última terça-feira, 15 de setembro, foi anunciada uma novidade sobre o concurso. Em publicação no Diário Oficial da União, o órgão publicou uma portaria formando a comissão organizadora do segundo edital da pasta. Segundo o documento, o grupo de trabalho terá 90 dias para concluir os trâmites da seleção.

A equipe é composta por representantes da comissão especial dos ex-territórios federais de Rondônia, do Amapá e de Roraima, da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia:

  • Leonardo Aguiar Sousa – presidente substituto da comissão especial (titular); e
  • Fabiula Costa Oliveira – membro da comissão especial (suplente).

Além disso, o grupo conta com representantes da Coordenação-Geral de Desenvolvimento e Movimentação de Pessoal, da Diretoria de Gestão de Pessoas, da Secretaria de Gestão Corporativa do Ministério da Economia (CGDEP/DGP/SGC):

  • Rodrigo de Oliveira Alves – coordenador-geral de Desenvolvimento e Movimentação de Pessoal (titular); e
  • Daniel Pires de Castro – coordenador de Provimento e Dimensionamento de Pessoas (suplente).

Além dos representantes da Coordenação-Geral de Legislação de Pessoal, da Diretoria de Gestão de Pessoas, da Secretaria de Gestão Corporativa do Ministério da Economia (CGLEJ/DGP/SGC):

  • Iris Francisca Alves de Sousa – chefe da divisão de Normas, Direitos e Deveres de Pessoal (titular); e
  • Débora Ribeiro Martins – agente administrativo (suplente).

A comissão organizadora terá até 90 dias, ou seja, até dezembro, para elaborar o projeto básico do edital. No entanto, a portaria autoriza a prorrogação desse prazo por igual período, ou seja, até março de 2021. No entanto, o certame deverá sair antes, já que o prazo máximo de abertura do concurso, conforme prevê a portaria, é até 08 de janeiro de 2021.

Vagas

De acordo com o texto, os profissionais contratados vão desenvolver atividades técnicas especializadas no âmbito da Comissão Especial de Extintos Territórios Federais de Rondônia, Amapá e Roraima (CEEXT) do Ministério da Economia.

As vagas do edital do Ministério da Economia serão oferecidas para atividades técnicas de complexidade intelectual, de nível superior. As oportunidades serão para ingresso nas seguintes áreas:

  • Direito (37 vagas); e
  • Arquivologia (02).

De acordo com a lei que regulamenta o edital, os salários devem chegar a R$ 6.130.

Agora, caberá ao Ministério da Economia definir os salários dos contratados. De acordo com o aval, os aprovados no processo seletivo irão atuar até 1º de dezembro de 2022, quando o prazo de validade do contrato será encerrado.

O edital será publicado em até seis meses, de acordo com o texto da portaria. Sendo assim, a seleção vai precisar ser aberta até 12 de fevereiro de 2021.

Acesse Agora as Principais Notícias no Brasil e fique atualizado

As admissões vão depender de prévia aprovação em processo seletivo simplificado. Além disso, as contratações somente vão ser formalizadas mediante disponibilidade de dotações orçamentárias específicas.

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?