Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Processo seletivo EMATER PI 2018 é autorizado!

Documento foi publicado no Diário Oficial do Estado do dia 31 de janeiro

O Processo seletivo do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Piauí (Processo seletivo EMATER PI 2018) está autorizado. O governador do Estado, Wellington Dias, assinou o decreto nº 17.609, que autoriza a realização do certame (veja abaixo). O documento foi publicado no Diário Oficial do Estado do dia 31 de janeiro de 2018.

De acordo com o texto, serão contratados técnicos de nível médio, por meio de processo seletivo simplificado, para a mobilização/organização, apoio gerencial dos grupos de agricultores e apoio à execução das ações do instituto. A duração do contrato será por 24 meses, com remuneração de R$ 1.358,85.

O Processo seletivo EMATER PI 2018

O processo seletivo da EMATER/PI contará com 25 vagas de técnicos para o Componente Desenvolvimento Produtivo no âmbito do Projeto Viva o Semiárido, na área de abrangência dos territórios Vale do Guaribas, Chapada do Vale do Itaim, Vale do Sambito, Vale do Canindé e Serra da Capivara, no Semiárido piauiense.

De acordo com o diretor-geral do Emater, Marcos Vinicius, esta contratação é específica para o fortalecimento das ações no âmbito do Programa Viva o Semiárido. “Não estamos contratando extensionistas, estamos contratando técnicos agrícolas e técnicos administrativos para as ações do programa.  Hoje o instituto é responsável por cerca de 50 planos de negócios, além de executar o componente produtivo. E é este eixo que permite a contratação destes 25 técnicos, que irão se somar aos técnicos do instituto, para otimizar as ações do PVSA no Semiárido piauiense”, finalizou o gestor.

topapostilas.com.br

Serão contratados técnicos de ciências agrárias e ciências sociais aplicadas. O edital do processo seletivo está em fase de elaboração.

Sobre a EMATER

O serviço de extensão rural no Brasil teve inicio em 1948, no Estado de Minas Gerais, através da criação da Associação de Credito e Assistência Rural – ACAR. Dando continuidade aos trabalhos da ACAR, foi instituída, em 1976, a Empresa de Assistência e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais – EMATER/MG.

“Contribuir de forma participativa para o desenvolvimento rural sustentável, centrado na expansão e fortalecimento da agricultura familiar, por meio de processos educativos que assegurem a melhoria da qualidade de vida e a construção do pleno exercício da cidadania, fortalecida na valorização dos servidores”.

A extensão rural é parte integrante de uma estrutura econômico-social e, como tal, deve ser considerada como um dos elos de uma corrente de atividades necessárias para executar os planos de desenvolvimento agrícola e rural.

Graças aos bons resultados obtidos pela ACAR-MG, junto aos produtores rurais e suas famílias, em 1954 foi fundada a ANCAR – Associação Nordestina de Crédito e Assistência Rural. Em 1956 foi criada a ABCAR com sede no Rio de Janeiro, para coordenar o serviço no país.

Com a criação da ANCAR no nordeste, em 1954, após doze anos, nasceu a extensão rural do Piauí, em 1966, com a criação da ANCAR-PI, filiada à ABCAR. A primeira experiência em extensão rural no Piauí se deu no município de Amarante, em seguida foi criada a regional de Campo Maior, em 1966 e no ano seguinte a regional de Parnaíba.

Leia Também:

Comentários estão fechados.