Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Concurso PC-MT 2016 – Edital com 3mil vagas!

A Polícia Civil do Estado de Mato Grosso (PC-MT) vai divulgar em breve novos concursos para preencher mais de 3mil vagas até o ano de 2018. De acordo com a corporação, são 1.800 vagas para investigadores, 600 para escrivães e 535 para técnicos, todos aguardando a aprovação para divulgação dos editais.

Atualmente a Polícia Civil do Mato Grosso conta com 243 delegados em exercício e há expectativa de que o edital com 130 vagas seja divulgado ainda no mês de dezembro. De acordo com a Assessoria de Comunicação da Polícia civil, “a demora na publicação do edital do concurso PC-MT se deve ao fato que foi preciso fazer uma alteração na Lei 407/2010, do Estatuto da Polícia Judiciária Civil, que passa agora a instituir a classe de delegado de polícia substituto na carreira da PC, cuja remuneração corresponderá a redução de 10% do subsidio da classe A”.

Último Concurso

O último concurso da Polícia Civil do Mato Grosso (Concurso PC-MT 2016) foi realizado em 2013. Na ocasião foram oferecidas 600 vagas, sendo 150 para escrivão e 450 para investigador. Para concorrer a uma das vagas no certame, os candidatos precisavam de formação no nível superior. O salário foi de R$2.984,26. Os inscritos foram avaliados por prova objetiva, avaliação de títulos, exame de saúde, teste de aptidão física, avaliação psicológica e investigação social.

Os inscritos na função de delegado vão concorrer a 130 vagas, sendo 60 imediatas, além de outras 70 oportunidades para formação de cadastro de reserva. Para concorrer a uma das vagas, será necessário nível superior. O salário é de R$9.049,05. O último concurso (2009) para delegado foi coordenado pela Funemat, que aplicou prova objetiva, dissertativa, oral e de avaliação de títulos, exame de saúde, teste de aptidão física, avaliação psicológica e investigação social.

O delegado geral Adriano Peralta Moraes, da Polícia Civil de Mato Grosso, frisou que a carreira exige muita dedicação e responsabilidade. “A carreira policial é um sacerdócio. Meu primeiro almoço de Natal na Polícia foi atendendo um homicídio na zona rural de Nova Maringá. Na festa de aniversário de 10 anos da minha filha mais velha em Tangará da Serra eu estava em Poconé numa operação contra o tráfico de drogas. Diria que nós necessitamos de policiais e dispensamos aqueles que almejam apenas a carreira pública. Necessitamos de policiais que ao chegarem à classe especial não esmoreçam, mas se dediquem ainda mais à instituição, de policiais que entendam que o interesse público deve prevalecer sobre o interesse particular. A instituição busca pessoas interessadas em servir à sociedade e jamais em se servir dela”, frisou Adriano.

Leia Também:

PENSAR CURSOS brasil 123

Comentários estão fechados.

Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?