Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Com “epidemia de ilegalidade”, STF suspende concurso!

Está suspenso o concurso do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) para outorga de delegações de serviços notariais e de registro. O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, emitiu a liminar. Os autores, o Colégio Notarial do Brasil e o Sindicato dos Serviços Notariais do estado, afirmou que “uma verdadeira epidemia de ilegalidade e imoralidade” tomou conta da seleção, na fase de avaliação de títulos.

Segundo as entidades, vários candidatos que estavam em posições medianas conseguiram “pular” 250 posições após a prova de títulos, ao apresentarem de 14 a 17 títulos de pós-graduação – inclusive recém-formados que alegaram ter concluído 10 cursos em apenas um ano.

O ministro, Lewandowski, afirmou que o concurso TJ-RS suspenso 2016 afrontou a autoridade da decisão tomada na Ação Direta de Inconstitucionalidade 3830, que foi a favor da legislação que regulamentou esse tipo de concurso no Rio Grande do Sul (Lei 11.183/1998). Entre outras medidas, a lei limitou a pontuação máxima para cada espécie de título, evitando distorções caso grandes quantidade de títulos de fácil obtenção fossem apresentadas.

A liminar suspende o concurso do TJ-RS outorga de delegações de serviços notariais e de registro até decisão do ministro Celso de Mello, relator do caso.

Comentários estão fechados.