Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Após queixas da Pfizer, Anvisa muda regras para uso emergencial de vacinas

A Anvisa muda regras após aviso da Pfizer. Dessa forma, a mudança acontece um dia após anúncio da empresa de que não solicitará o uso emergencial da sua vacina no Brasil.

Esta vacina foi feita em parceria com a BioNtech. A princípio, já está sendo usada em alguns países. Assim, entre eles Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha e França.

Em aviso oficial, feito na segunda (28), a Pfizer fala sobre as exigências do Brasil. Em outras palavras, isso precisa de uma análise mais específica, o que inviabilizaria.

Anvisa muda regras

O impasse entre o governo federal e a Pfizer que fez a Anvisa mudar regras. A princípio, pode ser visto nos itens XVI e XIV do guia divulgado.

A Anvisa mudou o trecho que solicitava um calendário próprio para o Brasil. Assim, teria que disponibilizar quantas doses seriam enviadas em datas específicas. Portanto, ela está pedindo apenas a previsão de produtos acabados e disponíveis.

Outra mudança faz referência ao Termo de Consentimento dentro do uso emergencial. Por fim, também poderá ser empregado um modelo feito pela empresa.

Há mais um ponto em discussão entre o governo federal e a Pfizer. Apesar de, a Anvisa informar que os pontos seriam apenas avisos. Por outro lado, a empresa afirma que os pontos foram indicados como exigências na reunião.

Ainda há um temor por parte da Pfizer com os requisitos seguidos. Mesmo assim, corra o risco de não dar início a vacina. Como resultado, da falta de um contrato de compra com o governo.

Anvisa muda regras para entrar no grupo de vacinação

Levantamento feito afirma que 47 países já iniciaram o processo de vacinação. Dessa forma, está incluso, a União Europeia, Estados Unidos, Reino Unido entre outros. Por fim, na América Latina temos a Argentina, Chile, México e Costa Rica.

Um dos motivos que a Anvisa muda regras é pela necessidade de acelerar a aprovação. Com isso, iniciar o quanto antes a vacinação. Atualmente, o Brasil tem ficado para trás, o que acarretará em entraves econômicos no futuro.

As Vacinas

Nessa corrida, existem 19 vacinas em desenvolvimento no mundo. Destas, 3 foram aprovadas para uso definitivo e 5 para uso emergencial e limitado.

Entre as vacinas que já estão disponíveis:

  • Sputnik V (Russia)
  • Sinopharm-Pequim (China)
  • Moderna (EUA)
  • CanSino (China)
  • Vector (Russia)
  • Sinopharm-Wuhan (China)
  • Coronavac / Butantan (China / Brasil)
  • Pfizer-BioNTech (EUA / Alemanha)

O fato da Anvisa mudar regras, facilita a análise sobre outros países já adiantados. Com isso acelera o início da imunização no Brasil. Assim, o governo quer iniciar a vacinação no final de janeiro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.