Por Estado: AC | AL | AM | AP | BA | CE | DF | ES | GO | MA | MG | MS | MT | PA | PB | PE | PI | PR | RJ | RN | RO | RR | RS | SC | SE | SP | TO | NACIONAL

Avalie o Texto.

300 mil doses da vacina russa chegam à Argentina

No dia 25 de dezembro a Argentina recebeu 300 doses da vacina russa. A Sputnik V é uma das principais armas contra o coronavírus do plano de imunização. Sendo que o uso do presente de Natal foi aprovado na véspera, em caráter de emergência.

O voo especial com o carregamento saiu de Moscou em uma aeronave da Aerolíneas Argentinas. Assim, chegaram ao aeroporto internacional de Ezeiza, próximo a Buenos Aires, segundo informantes.

A nação foi a terceira a testar a eficácia do medicamento  da Rússia. Porém, além dela tem contrato com a AstraZeneca e com a substância norte-americana. 

Plano de vacinação Argentino

As autoridades expressaram o desejo de começar a vacinação na próxima semana. Inicia-se o plano na primeira quinzena de janeiro, mas adiantou-se. Pois os laboratórios do país conseguiram aprovar o uso da Sputnik V e da Pfizer

300 mil doses da vacina russa devem ser usadas para imunizar grupos de risco. Logo, profissionais da saúde e pessoas com algumas condições especiais devem recebê-las nos próximos dias.

Argentina tem até o momento 1.563.865 casos de contaminação pelo coronavírus. Desses, 42.314 mortes confirmam-se em decorrência de complicações da doença. Portanto, os governantes lutam para começar a imunizar a população o quanto antes.  

O órgão regulador argentino foi o terceiro a aprovar a vacina, depois de Rússia e Bielorrúsia. Sendo que o país pretende ser o primeiro da América Latina a iniciar o processo. Seus principais concorrentes na corrida para iniciar a imunização são:

  • Chile;
  • México;
  • Colômbia.

Todo governo pretende imunizar cerca de 10 milhões de pessoas até fevereiro. Por isso, começar o quanto antes fará esse prazo se tornar possível. Dessa forma, a chegada das 300 mil doses da vacina russa são um marco importante.

300 mil doses da vacina russa

Os argentinos parecem cada vez mais próximos de começar seu plano de vacinação. Assim, com uma quantidade considerável de casos confirmados, a estratégia de agir com rapidez é bastante necessária.

No Brasil, ainda não há nenhum medicamento aprovado pela Anvisa para que possa ser usado. Portanto deve sair bem atrás de sua vizinha na imunização de sua população. O que é preocupante pelo fato de ser um dos principais epicentros da doença.

A Argentina e o mundo esperam que o presente de Natal seja realmente eficiente. Pois na luta contra o coronavírus toda ajuda é bem vinda. Principalmente se forem 300 mil doses da vacina russa.

Avalie o Texto.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.